SAÚDE

Selvíria: remédios para prevenção e tratamento de síndromes gripais são fracionados para distribuição

Publicados

em

Os medicamentos homeopáticos que a Prefeitura de Selvíria, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, recebeu da Associação Médica Homeopática de Mato Grosso do Sul (AMMS), já estão sendo fracionados para serem distribuídos à população. O medicamento, que não tem contraindicações, é capaz de amenizar sintomas ou evitar agravamento de pacientes com síndromes gripais e até com o Novo Coronavírus (COVID-19).

O medicamento homeopático que será distribuído – o Arsenicum Álbum (Metallum Álbum) 30CH – que é capaz de contribuir para o fortalecimento do sistema imunológico, estará a disposição da populaçãoai nda esta semana.

Uma síndrome gripal é caracterizada pelo conjunto de sintomas de uma gripe ou resfriado comum – como febre, dor de garganta e coriza –, mas que também pode indicar casos suspeitos de COVID-19. “Com essa ação, pretendemos reduzir o agravamento da doença e reduzir a necessidade de internação e da sobrecarga do sistema de saúde”, disse Jeane Alves de Jesus, da Vigilância Sanitária de Selvíria.

Serão distribuídos para os moradores interessados seis comprimidos, que deverão ser tomados por três dias seguidos (dois por dia). “Para conseguir o medicamento, basta que o morador procure a ESF mais próxima, onde receberão também orientações de como tomar o medicamento”, explicou Jeane.

Leia Também:  Em reunião virtual com governadores, Ministério da Saúde anuncia que vai distribuir vacina contra Covid-19

O medicamento

O medicamento homeopático preventivo da síndrome gripal pode ser utilizado por todas as pessoas, de todas as idades e até mesmo por gestantes, pessoas com ou sem sintomas da COVID-19, e mesmo estando em tratamento para outras doenças.

Cidades do Estado, como Amambai, Ponta Porã, Vicentina, Corguinho, Dois irmãos do Buriti, Novo Horizonte do Sul, entre outras, bem como algumas regiões do país também estão sendo contempladas pelo projeto da AMMS.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Em reunião virtual com governadores, Ministério da Saúde anuncia que vai distribuir vacina contra Covid-19

Distribuição pelo Programa Nacional de Imunizações contempla todos os estados, afirma Reinaldo Azambuja

Publicados

em

Com várias vacinas contra a Covid-19 em estágio avançado de testes, o Ministério da Saúde assumiu nesta terça-feira (20) a responsabilidade de coordenar, adquirir e distribuir as doses para imunizar a população por meio do SUS (Sistema Único de Saúde). A informação do ministro Eduardo Pazuello agradou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, porque garante um tratamento igualitário a todos os brasileiros.

“É uma sábia decisão, ministro, trabalhando como Federação e o Ministério assumindo essa questão, acho que a gente tem a segurança de que vai chegar às 27 Unidades da Federação. É algo extremamente importante. Existia uma dúvida de como seria o encaminhamento. Parabéns para o senhor e para a sua equipe! Agora é torcer para o registro e validação dessas vacinas e que tenham bom resultado para salvar as vidas do povo brasileiro”, disse Reinaldo Azambuja.

O ministro da Saúde afirmou que o governo federal não quer fazer uma vacinação obrigatória, mas um grande plano de imunização nacional, com campanhas de conscientização à população. Pazuello participou de uma videoconferência com governadores e com representantes das empresas que estão à frente das pesquisas e testes sobre as vacinas, como a Fiocruz e o Butantan.

Leia Também:  Suzano é reconhecida como umas das melhores empresas para trabalhar no Brasil

A Fiocruz apresentou alguns dados sobre a vacina Oxford da Astrazeneca. O valor da dose será de US$ 3,16, uma das mais baratas em estudo, segundo a empresa. E a previsão é de entrega de 210,4 milhões de doses em 2021. Participam dos testes 57 mil voluntários de sete países.

Ainda de acordo com a Fiocruz, há a garantia de produção nacional com transferência total de tecnologia e a previsão de entrega das primeiras 30 milhões de doses, com produção 100% nacional, é fevereiro de 2021.

Já o presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou que há um acordo para fornecer 46 milhões de doses da Coronavac para o Brasil, sendo 6 milhões vindos da China e 40 milhões produzidos pelo Instituto, e que há possibilidade de aumento de produção.

O secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, também participou da videoconferência.

Paulo Fernandes, Subcom

Foto: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA