SAÚDE

Saúde: Prefeitura de Selvíria compra três ambulâncias para atender assentamentos

Publicados

em

A Prefeitura de Selvíria, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está comprando três novas ambulâncias, para atendimento dos moradores que residem nos assentamentos Alecrim, São Joaquim e Canoas, localizados na zona rural da cidade.

As ambulâncias, do tipo pick-up, serão utilizadas para o transporte de pacientes dessas localidades para atendimento médico em unidades de saúde da cidade da cidade. A expectativa é que os veículos já estejam à disposição da população nos próximos dias.

Foram investidos cerca de R$ 250 mil na compra das três ambulâncias. O dinheiro utilizado na aquisição é do duodécimo da Câmara Municipal, passado à Prefeitura, que fez o investimento direcionado aos assentamentos. “Com a aquisição das novas ambulâncias, poderemos dar mais agilidade nos atendimentos dos moradores dessas localidades”, disse o secretário de Saúde, José Brito da Silva.

Atendimentos e Reforma

Semanalmente, a Prefeitura continua realizando atendimento médicos, através da Atenção Básica, bem como visita de agentes comunitários de saúde nos três assentamentos.

A Prefeitura também está reformando a unidade de saúde do assentamento São Joaquim, para oferecer mais qualidade e conforto nos atendimentos. As obras devem ser concluídas nos próximos dias e os atendimentos voltarão ao normal, com os devidos cuidados necessários de prevenção do COVID-19.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Selvíria entra no clima de Natal
Propaganda

SAÚDE

MS tem centro para monitoramento em caso de manifestação do vírus Chapare, informa SES

No entanto, Saúde diz que circulação do vírus ocorreu em 2019 e não há risco de transmissão na fronteira

Publicados

em

Controle boliviano na fronteira com Corumbá. (Foto: Arquivo)

Diante da descoberta de evidências da transmissão entre humanos do vírus Chapare na , a SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou que tem um centro onde é feito o monitoramento, em caso de manifestação da doença. O centro informou a cidade de Corumbá para ficar atenta a possíveis casos suspeitos. A secretaria ressalta que não foram registrados casos da doença neste ano, por isso não há riscos de transmissão nos municípios que fazem fronteira com o país vizinho.

A secretaria explica que recebeu um comunicado do Ministério da Saúde informando sobre o estudo em que os cientistas descobriram o vírus Chapare, que pode ser transmitido entre humanos, após registros na  no ano passado. A SES reforça que foram somente cinco casos registrados no ano passado e não houve registro da doença no Brasil.

O comunicado sobre o estudo foi feito ao CIEVS (Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde), que detecta, avalia e monitora informações sobre a prática de vigilância em saúde. Ou seja, o centro faz um monitoramento, criando meios de identificação e intervenção precoce nas emergências em saúde pública de relevância estadual e nacional, estimando o risco de expansão destes eventos.

Leia Também:  Selvíria entra no clima de Natal

“Este Centro está disponível 24 horas por dia, todos os dias do ano, tornando-se a porta de entrada de  compulsórias imediatas da Secretaria de Estado de Saúde e consequentemente, a ponte entre o Estado e Ministério da Saúde”, informou a SES.

A secretaria explica que o comunicado do Ministério da Saúde sobre o vírus foi um procedimento padrão. O CIEVS encaminhou esse comunicado para a Vigilância do município de Corumbá para que a Rede de Saúde se atente para possíveis casos suspeitos que atendam à definição, assim como já existe uma lista de doenças sendo  monitoradas. A SES frisa que não há casos registrados da doença recentemente.

Vírus Chapare

O vírus é transmitido por alimentos e água contaminados pela saliva, urina e fezes de ratos infectados. Também pode ocorrer a transmissão de humano para humano, conforme observado pelo estudo de cientistas do CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos ).

O vírus Chaparre pode causar sintomas como febre, dor de cabeça, vômito, diarreia, dores nas articulações, erupções cutâneas e sangramentos nas gengivas – e pode levar à morte.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA