SAÚDE

SES publica resolução que orienta a população para o uso de máscara em ambientes fechados

Publicados

em

Após o Governo do Estado, por meio do Programa Prosseguir, publicar o Decreto Estadual nº 15.893, – que torna facultativo o uso de máscaras em Mato Grosso do Sul –, a Secretaria de Estado de Saúde publicou nesta sexta-feira (11), no Diário Oficial, a Resolução SES Nº 016, que traz recomendações quanto ao uso de máscaras em ambientes fechados e com circulação de pessoas.
Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, cabe a Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde fazer a recomendações e continuar o monitoramento da evolução do Covid-19 no Estado.

“Nós analisamos às últimas três semanas epidemiológicas que nos indicaram uma queda acentuada quanto ao número de casos novos, internações e óbitos. Isto nos possibilitou a tomar esta decisão, mas não significa que o indivíduo não precise usar a máscara. A Saúde não vai deixar de fazer essa prevenção e nem os municípios deixarão de continuar fazendo este monitoramento de enfrentamento a Covid-19. A prevenção e a vacinação ainda são as principais medidas no combate a Covid-19”, explica o secretário.
Segundo a secretária-ajunta da SES, Crhistinne Maymone, a resolução publicada pela SES destaca o ‘autocuidado’. “Uma pessoa que precise ir para o trabalho ou escola e que faça uso do transporte coletivo cuja há circulação de pessoas, – ela vai precisar usar a máscara. Aquela pessoa que possui alguma comorbidade ou doença autoimune, – será necessário que ela use a máscara. Um idoso que por alguma razão precise sair de casa, também vai precisar usar a máscara. O autocuidado precisará estar presente na vida de cada cidadão a partir de agora, por uma questão de segurança”.

Leia Também:  ELEIÇÕES 2022 - Na mesma ala, Riedel e Contar oficializam candidaturas em MS

Maymone ainda destaca que os municípios terão um papel fundamental nesta resolução. “No caso de eventual surto em determinado município, ele vai precisar tomar medidas que sejam mais restritivas caso seja necessário. Então, nós – enquanto agentes de saúde -, estaremos vigilantes e não vamos deixar de fazer as recomendações necessárias e sempre contando com o apoio e a participação das secretarias municipais de saúde dos 79 municípios do Estado”.

Resolução SES Nº 016
A resolução de caráter preventivo recomenda que indivíduos imunocomprometidos, com alto grau de comorbidade, idosos a partir de 60 anos, pessoas que apresentem sintomas gripais, não vacinados ou que não completaram o esquema vacinal contra à Covid-19, – façam o uso do aparelho de proteção individual.
A fim de prevenir e evitar novas contaminações pelo Coronavírus, a Secretaria de Estado de Saúde recomenda o uso de máscaras nas seguintes situações:
• Durante o deslocamento em transportes públicos e carros de aplicativos;
• Durante a permanência em salas de aula nas escolas;
• Durante a permanência em unidade de saúde da rede pública ou privada;
• Durante a permanência em ambiente fechado, em que haja concentração de pessoas;
• Durante o contato com indivíduos imunocomprometidos ou com comorbidades de alto risco;
• Durante o período de convívio em instituições de longa permanência e de privação de liberdade.
Outra recomendação é quanto a eventuais casos de surto, em que se torna imprescindível o uso de máscaras e adoção de medidas de segurança.

Leia Também:  COVID: Selvíria já aplica quarta dose de reforço da vacina em pessoas com mais de 35 anos

Rodson Lima, SES

Foto:Saul Schramm

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Anvisa analisa cinco pedidos para diagnóstico da varíola dos macacos

Todos os pedidos de registro já tiveram a análise iniciada

Publicados

em

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, nesta quinta-feira (11), o balanço dos pedidos de registro de produtos para o diagnóstico de varíola dos macacos. No total, foram cinco pedidos e todos já tiveram sua análise iniciada.

Segundo a agência, os dois primeiros produtos foram Viasure Monkeypox Virus Real Time PCR Detection Kit, fabricado na Espanha pela empresa CerTest Biotec, e Monkeypox Virus Nucleic Acid Detection Kit, fabricado na China pela empresa Shanghai BioGerm Medical Technology. Ambos são ensaios moleculares, passaram pela avaliação do corpo técnico da Anvisa e aguardam complementação de informações por parte das empresas solicitantes para continuidade da análise.

O terceiro produto, que teve o pedido de registro submetido no dia 8 de agosto, também é um ensaio molecular e corresponde ao Standard M10 MPX/OPX, que tem como fabricante legal a empresa nacional Eco Diagnóstica, mas que tem parte da sua produção ocorrendo em outro país. A análise técnica da documentação está em curso.

Os pedidos mais recentes deram entrada na quarta-feira (10). Um deles, o Monkeypox Virus Antigen Rapid Test, o primeiro pedido relacionado a teste rápido para detecção de antígeno, fabricado pela empresa chinesa Shanghai BioGerm Medical Technology, e o produto Kit Molecular Monkeypox (MPXV) Bio-Manguinhos, fabricado no Brasil pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos.

Leia Também:  Prefeitura de Selvíria troca ponte por tubulação para facilitar trânsito e escoamento da produção na zona rural

Em nota, a Anvisa destacou que a prioridade é “a avaliação de todos os pedidos de registro de produtos para diagnóstico in vitro que possam ser utilizados como recurso para o enfrentamento da monkeypox [varíola dos macacos, em inglês]”.

Edição: Fernando Fraga

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA