SAÚDE

Campanha de Vacinação contra a Influenza e Sarampo começa em abril em MS

Publicados

em

A Campanha de Imunização contra a Influenza e o Sarampo começa no próximo dia 4 de abril em Mato Grosso do Sul. Nesta primeira etapa, idosos a partir de 60 anos e trabalhadores da saúde deverão abrir a campanha de vacinação contra a Influenza que segue até 2 de maio, após esta data, crianças a partir de seis meses de idade a menores de 5 anos entram na segunda fase da campanha. Quanto a Campanha de Vacinação contra o Sarampo, estará disponível para crianças a partir de seis meses a menores de cinco anos de idade e trabalhadores da saúde.

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, é importante a população estar atenta ao calendário vacinal, principalmente da Influenza. “Nesta primeira fase, os idosos e os profissionais de saúde, principalmente aqueles que atuam na linha de frente, precisarão tomar a vacina contra gripe. É importante que os pais levem as crianças para se vacinarem, não só contra a Influenza e o Sarampo, mas contra a Covid-19 também. Então, a partir do dia 4 de abril, procure uma unidade de saúde para se vacinar”.

Leia Também:  COVID: Selvíria já aplica quarta dose de reforço da vacina em pessoas com mais de 35 anos

Segundo a coordenadora Estadual de Vigilância Epidemiológica da SES, Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger, a Campanha de Imunização Contra a Influenza 2022 será diferenciada. “Como nós tivemos casos de Influenza no início deste ano, creio que teremos uma boa adesão por parte da população. O Ministério da Saúde ainda não nos mandou a estimativa populacional por município, então, estamos aguardando este informe para saber quantas doses serão encaminhadas para cada um dos 79 municípios do Estado. Creio que nos próximos dias já teremos este informativo disponível”.

Quanto a campanha de vacinação contra o Sarampo, a população-alvo será crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos 11 meses e 29 dias). Em Mato Grosso do Sul a população estimada e apta a se vacinar é de 193.440 crianças.

Influenza

A campanha acontecerá em duas etapas. O dia D de mobilização nacional está previsto para o dia 30 de abril.

Primeira etapa – entre os dias 04/04 e 02/05

  • idosos com 60 anos ou mais;
  • trabalhadores da saúde;
Leia Também:  Hoje Começou a campanha de vacinação contra a pólio atualização da caderneta em Selvíria

Segunda etapa – entre os dias 03/05 e 03/06

  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes e puérperas;
  • Povos indígenas;
  • Professores;
  • Comorbidades;
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;
  • Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;
  • Trabalhadores portuários;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
  • População privada de liberdade.

Crianças

Segundo o Ministério da Saúde, no caso das crianças de seis meses a menores de 5 anos que já receberam ao menos uma dose da vacina Influenza ao longo da vida em anos anteriores, deve se considerar o esquema vacinal com a apenas uma dose em 2022. Já para as crianças que serão vacinadas pela primeira vez, a orientação é agendar a segunda dose da vacina contra gripe para 30 dias após a primeira dose.

Rodson Lima, SES

Foto: Saul Schramm/Arquivo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Anvisa analisa cinco pedidos para diagnóstico da varíola dos macacos

Todos os pedidos de registro já tiveram a análise iniciada

Publicados

em

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, nesta quinta-feira (11), o balanço dos pedidos de registro de produtos para o diagnóstico de varíola dos macacos. No total, foram cinco pedidos e todos já tiveram sua análise iniciada.

Segundo a agência, os dois primeiros produtos foram Viasure Monkeypox Virus Real Time PCR Detection Kit, fabricado na Espanha pela empresa CerTest Biotec, e Monkeypox Virus Nucleic Acid Detection Kit, fabricado na China pela empresa Shanghai BioGerm Medical Technology. Ambos são ensaios moleculares, passaram pela avaliação do corpo técnico da Anvisa e aguardam complementação de informações por parte das empresas solicitantes para continuidade da análise.

O terceiro produto, que teve o pedido de registro submetido no dia 8 de agosto, também é um ensaio molecular e corresponde ao Standard M10 MPX/OPX, que tem como fabricante legal a empresa nacional Eco Diagnóstica, mas que tem parte da sua produção ocorrendo em outro país. A análise técnica da documentação está em curso.

Os pedidos mais recentes deram entrada na quarta-feira (10). Um deles, o Monkeypox Virus Antigen Rapid Test, o primeiro pedido relacionado a teste rápido para detecção de antígeno, fabricado pela empresa chinesa Shanghai BioGerm Medical Technology, e o produto Kit Molecular Monkeypox (MPXV) Bio-Manguinhos, fabricado no Brasil pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos.

Leia Também:  ELEIÇÕES 2022 MS - André indica vitória e diz que vai recuperar salário da educação

Em nota, a Anvisa destacou que a prioridade é “a avaliação de todos os pedidos de registro de produtos para diagnóstico in vitro que possam ser utilizados como recurso para o enfrentamento da monkeypox [varíola dos macacos, em inglês]”.

Edição: Fernando Fraga

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA