SAÚDE

Brasil recebe mais de 5 milhões de doses da vacina contra covid-19

Lotes chegaram ontem no Aeroporto de Viracopos

Publicados

em

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde recebeu neste domingo (12) o total de 5,1 milhões de doses da Pfizer/BioNTech. Os lotes desembarcaram pelo Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Essa é a maior remessa já entregue pela farmacêutica em um dia desde o começo da campanha de vacinação.

Os lotes com as doses foram divididas em quatro voos ao longo do dia. O primeiro, com 1,3 milhão, desembarcou ainda na madrugada do domingo. O segundo voo, com 1,1 milhão de vacinas, chegou por volta das 10h30. Outras duas remessas, com 1,1 milhão e 1,5 milhão, chegaram à tarde.

Segundo o Ministério da Saúde, as vacinas vão acelerar a campanha de vacinação que já imunizou mais de 70 milhões de brasileiros com as duas doses ou a vacina de dose única, ou seja, quase 44% da população adulta. Os reflexos da imunização da população aparecem nos dados epidemiológicos todos os dias. Na última semana, 23 estados estavam com ocupação de leitos abaixo de 50%.

Leia Também:  Explosão deixa pelo menos 13 mortos em Damasco

Desde o início da campanha de vacinação, das 259,4 milhões de doses distribuídas aos estados e Distrito Federal, 59 milhões são da farmacêutica Pfizer/BioNTech. Para que as vacinas cheguem aos postos de imunização, as doses passam por um rápido e rigoroso controle de qualidade.

No total, o Ministério da Saúde já entregou aos estados e ao DF mais de 259 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Mais de 136 milhões de brasileiros já receberam a primeira dose dos imunizantes, isto é, cerca de 85% dos 160 milhões de brasileiros com mais de 18 anos.

 

Edição: Valéria Aguiar

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Covid-19: médias móveis sobem, e Brasil registra 451 óbitos em 24 horas

As médias móveis de óbitos e de infecções apresentam tendência de elevação e ficaram em 369 e 12.158, respectivamente, nesta quinta-feira (21)

Publicados

em

O Brasil registrou 451 mortes e 16.852 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. As médias móveis de óbitos e de infecções apresentam tendência de elevação e ficaram em 369 e 12.158, respectivamente, nesta quinta-feira (21).

As informações são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Com a atualização, o país tem um total de 604.679 mortes e 21.697.341 casos confirmados da doença desde o início da pandemia, em março de 2020.

Alta de casos

Reino Unido tem mais casos de Covid-19 que França, Alemanha, Itália e Espanha juntas. Leia mais.

Moscou voltará a adotar medidas de lockdown a partir do dia 28 de outubro para combater uma alta nos casos de Covid-19, disse o prefeito da capital russa, Sergei Sobyanin, nesta quinta-feira. Leia mais.

Reforço da Pfizer

Estudo divulgado nesta quinta-feira mostrou que a dose de reforço da vacina contra Covid-19 da Pfizer mostrou eficácia de 95,6% contra infecção pelo SARS-CoV-2. O estudo foi realizado pelos próprios laboratórios Pfizer e BioNTech. Leia mais.

Leia Também:  Covid-19: médias móveis sobem, e Brasil registra 451 óbitos em 24 horas

Uso de máscaras

A prefeitura de São Paulo planeja flexibilizar o uso de máscaras em locais abertos após a conclusão da vacinação em adultos e adolescentes acima de 12 anos. A data para concluir o ciclo vacinal em adultos é o dia 15 de novembro. Leia mais.

Doações de vacinas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu aos países do G20 que reforcem as doações de vacinas contra a Covid-19 a países onde a imunização avança muito lentamente.

Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu aos países do G20 que reforcem as doações de vacinas contra a Covid-19 a países onde a imunização avança muito lentamente.

A entidade já havia declarado anteriormente que a pandemia pode se prolongar por mais tempo porque os países mais pobres não estão recebendo as doses que precisam.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que os países ricos têm que cumprir com seus compromissos de compartilhamento de vacinas, porque ainda faltam 500 milhões de doses para serem aplicadas no mundo todo, principalmente nos países mais pobres, para que seja cumprida a meta da organização de imunizar 40% da população mundial até o meio do ano que vem.

Leia Também:  Marvel adia lançamento de ‘Doutor Estranho’ e outros previstos para 2022

Das 500 milhões de doses necessárias, 240 milhões estão estocadas nos países mais ricos. Devido ao desequilíbrio, é possível que a pandemia acabe um ano a mais do que o previsto.

(Publicado por Daniel Fernandes)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA