REGIÃO

Suzano atinge marca de 12 milhões de toneladas de celulose e papéis vendidos em 2020

Volume é 12% superior ao registrado no ano anterior

Publicados

em

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, comercializou 12 milhões de toneladas de celulose e diferentes tipos de papéis em 2020. O volume alcançado representa uma alta de 12% em relação ao ano anterior, impulsionado principalmente pelo crescimento de 15% no total de celulose vendida ao longo do ano. A celulose é a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos como papéis sanitários, embalagens, fraldas, máscaras e papéis de imprimir e escrever em geral, entre outros itens essenciais para o dia a dia das pessoas.

O maior volume de vendas e o câmbio mais favorável à exportação contribuíram para uma alta de 17% na receita líquida, que atingiu R$ 30,5 bilhões em 2020. A produção da Suzano é concentrada em 11 fábricas no Brasil, incluindo a Unidade Três Lagoas (MS), que possui duas fábricas em operação, com capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose ao ano.

Outro destaque positivo do ano foi registrado na linha de despesas. O custo caixa de celulose, indicador que dimensiona a competitividade produtiva da companhia, encerrou o ano em R$ 604 por tonelada (excluindo paradas), queda de 9% em relação a 2019. A geração de caixa operacional, por sua vez, cresceu 63% e atingiu R$ 11,5 bilhões no ano, demonstrando a resiliência da companhia.

“Este foi um ano particularmente desafiador para as pessoas em todo o mundo. Na Suzano, adotamos todas as medidas necessárias para garantir a saúde e a segurança de nossos colaboradores e parceiros, sem deixar de abastecer clientes e o mercado com nossos produtos. E os números de 2020 refletem isso, a dedicação e o empenho de cada colaborador e colaboradora da Suzano e de nossos parceiros”, afirma o presidente da Suzano, Walter Schalka.

Leia Também:  Ministério da Saúde envia sexta remessa com 27,8 mil doses de vacina contra o coronavírus para MS

Ao longo do último trimestre de 2020, a Suzano realizou paradas programadas em quatro complexos fabris: as unidades de Imperatriz (MA) e Jacareí (SP), a linha 1 da Unidade Mucuri (BA) e as linhas 1 e 2 da fábrica de Três Lagoas (MS). A partir dessas unidades, além das outras sete fábricas da companhia, a Suzano abastece cerca de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo.

A atuação da Suzano em 2020 foi sustentada em três pilares principais: os cuidados com colaboradores, com a sociedade e com o negócio. Por isso, todas as medidas necessárias para a garantir a segurança de colaboradores e terceiros foram adotadas. A companhia também investiu R$ 75 milhões em ações de apoio à sociedade, incluindo a importação de respiradores e máscaras hospitalares, o apoio ao aumento da produção nacional de respiradores e a construção de um Hospital de Campanha na Bahia. Destaque também para ações de apoio a diferentes públicos de relacionamento, incluindo projetos sociais, clientes e fornecedores, principalmente parceiros locais que possuem maior dependência da Suzano.

A Suzano encerrou 2020 com um investimento total de R$ 4,2 bilhões. Foram destinados R$ 3,4 bilhões a atividades de manutenção, incluindo as paradas programadas, e R$ 820 milhões em projetos de expansão e modernização, terras e florestas e terminais portuários.

Leia Também:  Amazonia 1 chega à orbita com sucesso e inicia transmissão de dados

Sobre a Suzano

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Informações à Imprensa

Performa Comunicação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

REGIÃO

Mineradora anuncia projeto de R$ 40 milhões para extração de basalto em Inocência

Publicados

em

O município de Inocência terá em breve um importante empreendimento: uma empresa da área de mineração, com investimento previsto de R$ 40 milhões e a geração de 50 empregos diretos. O projeto foi apresentado ao secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, pelo empresário Jairo Clemente de Oliveira e o prefeito de Inocência Antônio Garcia dos Santos durante reunião realizada ontem (25).

“Trata-se de uma nova atividade que chega ao Estado por Inocência e cria a possibilidade de ofertar vários produtos da rocha, como o basalto negro utilizado pela indústria da construção para se obter o ‘preto absoluto’, usado em decoração. Também deve ser extraído o pó de rocha, remineralizante para a agriculta, além da brita, muito demandada para asfaltamento. É um investimento significativo e uma atividade nova para o Estado que vem ao encontro dos esforços que o governo vem empreendendo para diversificar as atividades econômicas”, disse Verruck.

Há pesquisas em andamento sobre a utilização do pó de rocha na agricultura. O secretário afirma que esse “é um caminho novo pelo qual a agricultura brasileira está se direcionando” e enxerga boas perspectivas de negócios para esse empreendimento.

Leia Também:  Temporada de pesca começa com cota de 2020 valendo: um exemplar e cinco piranhas

A empresa já tem autorização da Agência Nacional de Mineração e a Licença Ambiental Prévia do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). Também já entrou com pedido de incentivos fiscais junto ao governo do Estado. O empresário Jairo Clemente de Oliveira acredita que já no segundo semestre deste ano sua empresa entre em atividade.

Participaram da reunião o vice-prefeito Adair Aparecido de Freitas e os vereadores Jefferson Lopes de Oliveira e João Maria Aparecido Ladeia.

Veja abaixo imagens da reunião:

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA