POLÍTICA

“Líder patético” Bolsonaro já está derrotado em 2022, diz Carta Capital

A revista analisa que Bolsonaro continua à frente de um governo calamitoso, aprovado, em seu conjunto, por cerca de 20% da população e por 15% ou menos em quase todas as áreas

Publicados

em

Jair Bolsonaro (sem partido) está derrotado em 2022, apesar de Lula não ser apontado como o vitorioso ao momento, a revista Carta Capital analisa que o governo do ex-capitão já carimbou a sua derrota nas próximas eleições.

A revista diz que Bolsonaro é amplamente rejeitado e que a esquerda, a qual gestor tentou banir, se mantém com apoiadores intocados.

“Em vez de forte, ficou clara a fragilidade do ex-capitão, que não passa de um pequeno líder patético. Seu governo é amplamente rejeitado. Não deu certo a tentativa de banir as esquerdas e elas se mantêm com tamanho intocado, apesar dos ataques sofridos. Ninguém sequer se lembra da lorota da “guinada ao centro”, que correu solta depois das eleições municipais”, diz a revista.

De acordo com a Carta Capital, Lula é uma figura ‘grande’ e que Lula e o PT continuam a representar a esperança dos mais pobres no processo eleitoral.

A situação de Lula é de líder absoluto, como mostrou as pesquisas Datafolha e Vox Populi. De acordo com as pesquisas, a Carta Capital diz que se dependesse somente do povo e se a eleição fosse hoje, Lula venceria com vantagem dilatada, no primeiro turno.

“A perspectiva que tínhamos depois da eleição de 2018 não se confirmou. Bolsonaro começou a cair logo no início do governo e permaneceu em queda até o fim de 2019. Do começo da pandemia em diante, ficamos sem conseguir saber o que pensavam os segmentos majoritários e o terreno ficou livre para especulações de todo tipo. Muita gente chegou a achar que a popularidade de Bolsonaro havia sido turbinada pelo auxílio emergencial, revertendo a queda do ano anterior”, explicou a revista.

A Carta diz que o auxílio emergencial foi inútil para recuperação da popularidade de Bolsonaro.

“O panorama eleitoral só fica melhor para o ex-capitão se ficar pior para Lula. O problema é que não há nada que possa ser dito contra o ex-presidente que não tenha sido usado. Ou alguém imagina que o reaquecimento de velhas acusações, agora, finalmente, produziria consequências? Alguém acredita que um neolavajatismo teria credibilidade, depois da desmoralização dos curitibanos?”, pergunta a revista.

A revista analisa que Bolsonaro continua à frente de um governo calamitoso, aprovado, em seu conjunto, por cerca de 20% da população e por 15% ou menos em quase todas as áreas, tomadas isoladamente.

Para a maioria dos brasileiros, o fracasso de Bolsonaro no enfrentamento da pandemia é a prova mais dolorosa de sua inaptidão e incapacidade. “A culpa de Bolsonaro está formada. Quem apostar na recuperação da economia, que não se esqueça: os sinais de melhora são para os rendimentos dos ricos. Nada indica que, para as famílias pobres, teremos, de agora em diante, aumento de renda, maior acesso ao consumo, expansão do emprego e ampliação da cobertura de políticas públicas de qualidade, em escala minimamente relevante”, detalha a Carta Capital.

“É até possível dizer que Lula ainda não ganhou a eleição, pois, em um país como o Brasil, sempre pode haver alguma maracutaia. Mas é certo que Bolsonaro perdeu. Só resta a ele e aos amigos o recurso de colocar uma bomba na democracia”, conclui a revista.

 

FONTE: CARTA CAPITAL.  

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Unanimidade: melhorias na infraestrutura dos municípios tem sido prioridade na segunda fase do Governo Presente

Publicados

em

Nesta semana o governador Reinaldo Azambuja deu continuidade a 2° etapa do Governo Presente. Dessa vez as demandas vieram de 30 prefeitos das regiões do Bolsão, Norte e Pantanal que foram atendidos em Três Lagoas, Costa Rica, Coxim e Aquidauana, escolhidos como municípios sede das audiências.

Conhecido como um gestor municipalista, Reinaldo Azambuja lembrou que a primeira etapa do Governo Presente foi fundamental para obras já em execução nos 79 municípios, e enfatizou a projeção de novos investimentos a partir desta segunda rodada.

“Todos os municípios já têm uma presença de obras estruturantes. Essa nova rodada é para levantar demandas que são importantes e poder projetar novos investimentos. As escolhas são locais, quem decide o que é prioridade são os prefeitos e vereadores sobre o que é mais necessário para a gente democratizar e fazer essas obras que são estruturantes”.

As demandas levantadas nesta segunda semana do cronograma do Governo Presente, indicam que o prosseguimento dos investimentos em obras de infraestrutura vem sendo uma unanimidade entre os prefeitos sul-mato-grossenses.

Ângelo Guerreiro, prefeito de Três Lagoas, apresentou pedido de recapeamento para vários bairros, além da construção da Avenida Custódio Andres, que segundo ele vai ligar várias regiões da área central. “Também continuamos o diálogo para construção de um shopping popular na cidade”.

De Paranaíba, o prefeito Maycol Henrique afirmou que o foco da cidade é a ajuda do governo para recapear o município. “Temos um asfalto antigo e deteriorado, que precisa de recuperação, já o asfalto vamos fazer, falta apenas 20%”.

Asfalto e drenagem também foi a solicitação da prefeita de Água Clara, Gerolina da Silva, que também requisitou a construção de um novo hospital e a instalação do Corpo de Bombeiros. “O governador tem sido parceiro e passamos as demandas do município”.

Em Inocência a demanda apresentada pelo prefeito Toninho da Cofap, foi de equipamentos para hospital, casas populares e pavimentação da MS- 316. Para Santa Rita do Pardo, o prefeito Lúcio Roberto Calixto requisitou o rodoanel para a cidade. “Vai aliviar o tráfego de veículos no município”.

O prefeito de Chapadão do Sul, João Carlos Krug, pediu investimento na área de infraestrutura, esporte e habitação e destacou a importância do programa que recebe as demandas dos prefeitos. “O Governo Presente foi muito importante para Chapadão do Sul e a gente sabe para os 79 municípios do Estado. No ano passado os pedidos e as necessidades da população o Governo do Estado vem atender as situações que o município sozinho não consegue fazer. O governo Reinaldo, um governo municipalista, tem ajudado os municípios e com Chapadão do Sul não é diferente. Isso é de suma importância, um governo que entende as necessidades da população mora nos municípios”.

Prefeito de Camapuã, Manoel Nery deu destaque para a aproximação entre Estado e municípios. “A presença do Governo do Estado no município, melhor impossível. Pois ele vem, olha as demandas que o município tem e nos ajuda a correr atrás de recursos a nível federal e também nos ajuda com recursos estaduais para que a gente possa atender e fazer a administração que o município precisa”, disse.

Infraestrutura para a implantação do polo industrial de Alcinópolis, habitação e a construção de uma ponte sobre o Rio Bom Sucesso foram os pedidos do prefeito de Alcinópolis, Dalmi Crisóstomo. “A gente fica extremamente feliz, honrado e agradecido por ter a compreensão e o olhar especial do Governo do Estado para que a gente possa fazer essas obras que vão fazer a diferença na vida das pessoas”.

Em Figueirão a demanda apresentada pelo prefeito Juvenal Consolaro, também atende a área rural. “O município de tem uma demanda muito grande em questão de estradas rurais, são mais de 1700 km de estradas com baixo poder de sustentação. O município é rico, quer produzir e quer diversificar. Contamos com esse apoio que com certeza vai dar um grande impulso ao nosso município”.

Com pedido de asfalto e construção do rodoanel, o prefeito de Paraíso das Águas, Anízio Sobrinho, deu nota 10 ao Governo Presente destacando o municipalismo que tem feito a diferença na vida da população. “Aqui na nossa região tem obras no nosso município, tem obras em Chapadão do Sul, Alcinópolis, todas ligadas a nossa região. Quando faz uma obra, por exemplo, em Chapadão do Sul, a minha região Paraíso das Águas também ganha com isso, pois cresce num todo. A sociedade de Paraíso das Águas é muito grata ao nosso governador pelo que tem feito e continua fazendo”.

Há 5 meses na gestão de Costa Rica, o prefeito delegado Cléverson, destacou que em cinco meses de gestão, o governador Reinaldo Azambuja já esteve duas vezes no município. “Hoje apresentamos ao governo a pavimentação asfáltica da rodovia 135 que é a rodovia que liga a nossa usina até a 359; o recapeamento da rodovia 223, a pavimentação asfáltica da rodovia 36 que liga Costa Rica a Paraíso, que é uma demanda tão antiga quanto a rodovia que liga Costa Rica a Figueirão, que foi entregue recentemente pelo nosso Governo do Estado. Então, a parceria com os municípios tem sido de suma importância, especialmente na nossa região que é uma região forte no agronegócio e os produtores tinham dificuldade de escoar os produtos por falta de estradas e rodovias de qualidade”.

O prefeito de Jaraguari, Edson Moraes, destacou o desenvolvimento que esses investimentos trazem e citou o núcleo industrial. “O governador foi parceiro. Uma obra que Jaraguari esperava, então já começamos a desenvolver as áreas para as empresas. Já fizemos uma doação de área para a etanol de milho que vai se instalar ali, e agora vamos fazer a doação de área para um frigorífico. As duas empresas inicialmente já devem gerar 250 empregos”.

Representando Pedro Gomes, o prefeito William Luiz Fontoura falou da responsabilidade de administrar em uma época difícil com poucas oportunidades no País, mas que o Governo Presente tem permitido às entregas à população. “Não existe o milagre da boa administração sem poder fazer entregas. E o Governo Presente é nesse sentido, a gente elabora projetos importantes para o município, e o Governo através do pulso forte do governador Reinaldo Azambuja, tem conseguido nos contemplar”.

Destacando a mudança na vida das pessoas através das melhorias que chegam aos municípios, a prefeita de Corguinho, Marcela Ribeiro Lopes, pontuou as demandas elencadas.  “Pactuamos uma orla na avenida, uma cobertura de quadra de esportes e um parque de lazer no Distrito de Taboco. Com essas obras vamos promover mais segurança para as pessoas, maior comodidade além de drenar as águas das chuvas que têm sido os grandes causadores da destruição de ruas na área urbana. Também cobramos um compromisso do governador com relação a Rodovia MS 244, que é um sonho do município, ele se mostrou mais uma vez bem positivo e as coisas estão andando para que isso aconteça”.

Pavimentação asfáltica e drenagem de ruas no Bairro Primo Maffisoni em São Gabriel do Oeste. Foto: Saul Schramm

Para São Gabriel do Oeste, o prefeito Jefferson Tomazinni, apresentou como prioridades, obras e pavimentação e um projeto piloto de pavimentação rural. “O governador Reinaldo é extremamente municipalista. Ele já foi prefeito e sabe das dificuldades de gerir uma cidade. Então ele tem nos ouvido ao longo desses dois mandatos, são 79 municípios e ele não deixa de atender nenhum. Cada um tem suas necessidades. E nós sempre somos bem recebidos independente de sigla partidária. Ele tem essa habilidade de dialogar, essa é uma condição nata dele”.

Já o prefeito Buda do Lair, pontuou a importância do programa que contempla também os pequenos municípios como Rio Negro que que tem 5 mil habitantes e já foi contemplado com mais de 40 quadras de asfalto. “Muito presente, municipalista, nunca tivemos isso na história de Mato Grosso do Sul. Mais uma vez fomos agraciados com duas pontes de concreto. Uma será no Rio Negro que vai atender o Assentamento Santa Rosa e a região conhecida como Licor. E outra no Rio do Peixe que atende a região do Alcantilado. São pontes extremamente importantes para o escoamento da produção”.

Governador em vistoria das obras no aeroporto de Coxim. Foto: Edemir Rodrigues

Para Coxim, o prefeito Edilson Magro, elencou como prioridade obras urbanas de recapeamento e melhoria de estradas estaduais, e destacou ações em andamento. “Já temos as obras por exemplo, no Aeroporto Municipal que está sendo recapeado; temos o asfaltamento da estrada de Silviolandia a São Ramão; e temos a Sede da Polícia Militar; e muitas coisas irão acontecer graças a ele ter vindo aqui, ter visto pessoalmente as nossas necessidades e ter vindo fazer o compromisso com a gente”.

O prefeito Enelto da Farmácia, pediu a obra de pavimentação do bairro Novos Tempos II que deixará Sonora 100% asfaltada. “Sentar com o governador, trazer as demandas, as prioridades do seu município, e sair com uma resposta positiva, isso deixa nós cada dia mais entusiasmados e apoiando esse Governo que para mim hoje é o melhor do Brasil”.

Avanço e progresso foram as palavras usadas pelo prefeito de Rochedo, Juninho Ribeiro, para definir o Governo Presente. “Nós reivindicamos a reforma da escola estadual que é um anseio muito grande dos alunos, diretores e professores; mais drenagem e asfalto para nosso município; o terreno urbanizado; e o trevo que dá acesso ao frigorífico que emprega mais de 800 famílias no nosso município”.

Marcelo Iunes, prefeito de Corumbá, solicitou obras de infraestrutura na zona rural e urbana, como o asfalto que liga a BR 262 até o Distrito de Albuquerque; a construção da nova estrada do Distrito de Porto Esperança; reperfilamento e recapeamento nos bairros da cidade de Corumbá. “Antes de ser prefeito, fui vereador por 12 anos, três mandatos consecutivos. E nós sempre fomos a base dos prefeitos e sabemos que nunca teve um governo municipalista como temos hoje”.

Confira abaixo o depoimento dos prefeitos da etapa do Governo Presente realizada com os municípios do Conesul, Fronteira e Vale do Ivinhema.

Mireli Obando, Subcom (com informações Paulo Fernandes, Leonardo Rocha e Bruno Chaves)

Fotos: Equipe Subcom

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA