POLÍCIA

Faxineira e servidor de MS são presos com R$ 50 milhões em conta durante operação contra o tráfico

Os dois eram laranjas e faziam parte de núcleo financeiro de organização criminosa para lavagem de dinheiro

Publicados

em

Imóveis eram de fachada. - (Foto: Divulgação/ Dracco

Uma faxineira e um servidor público de Mato Grosso do Sul foram presos durante a Operação Tríade, deflagrada pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (10). Os dois faziam parte do núcleo financeiro de uma organização criminosa que atuava no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro nas fronteiras do país. No local indicado como sede das pessoas jurídicas, foram encontrados imóveis abandonados.

O núcleo financeiro do qual os dois presos em MS faziam parte movimentou mais de R$ 78 milhões em operações fraudulentas. A faxineira fez transações de mais de R$ 15 milhões em suas contas bancárias e, no endereço disponibilizado de sua pessoa jurídica foi encontrada uma residência abandonada. O mandado foi cumprido pelos policiais do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado).

Já o funcionário público municipal de Campo Grande, de 45 anos, movimentou mais de R$ 35 milhões em operações suspeitas. Os dois prestarão depoimento sobre a participação no esquema de lavagem de dinheiro. Não foram divulgadas as identidades dos presos.

Leia Também:  Com apoio da Suzano, produtores rurais buscam impulsionar os negócios por meio de ferramentas digitais em MS

Apreensões de cocaína

As investigações iniciaram no ano de 2020, quando a delegacia da Polícia Civil de Bagé, no Rio Grande do Sul, realizou uma apreensão de cocaína em Porto Alegre, capital do estado – cerca de 12 quilos. Posteriormente, junto ao Setor de Inteligência da Brigada Militar e da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de Bagé, foram apreendidos 31 quilos de cocaína, 57 quilos de maconha e 5 quilos de crack.

Em seguida, no último dia 30 de julho, um laboratório de refino de cocaína e crack foi desarticulado na cidade de Bagé, onde três pessoas foram presas em flagrante, dando início a identificação de outros membros da organização criminosa.

Ao todo 20 membros foram presos em flagrante e 22 indiciados por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse de instrumentos para produção de drogas. O líder da organização comandava a distribuição dos entorpecentes pela cidade, do interior da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas-RS, onde cumpre pena de 120 anos de prisão.

Movimentações financeiras suspeitas foram identificadas em contas de laranjas de cidades da fronteira de Mato Grosso do Sul e São Paulo. As contas eram usadas para controle de contabilidade e fluxo de dinheiro advindo do tráfico.

Leia Também:  Mato Grosso do Sul se mantém líder na exportação de tilápia no terceiro trimestre de 2021

Segundo o delegado Cristiano Ritta, titular da Dracco em Bagé, três organizações criminosas operam para abastecer o tráfico de drogas no Rio Grande do Sul e no Uruguai. “Elas promovem a lavagem de dinheiro a partir de centenas de operações no país inteiro e esse é mais um duro golpe no sistema financeiro do crime organizado nacional”, afirma.

Imóveis ‘de fachada’

Policiais do Dracco de MS fizeram buscas nos locais indicados no cadastro das contas bancárias dos laranjas. Foi comprovada a utilização de empresas de fachada, inclusive os locais encontravam-se desocupados ou com entulhos, mesmo apontados como imóveis de grande movimentação financeira.

Ao todo foram cumpridas mais de 120 ordens judiciais de busca e apreensão, além de bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens e valores em Mato Grosso do Sul, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Polícia Civil inicia investigações sobre queda de helicóptero com grande quantidade de cocaína em Ponta Porã

Publicados

em

A Polícia Civil, por meio do Departamento de Repressão a Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul – DRACCO assumiu a investigação da queda do helicóptero R66 identificado como sendo de prefixo PR-ITT, na manhã desta quarta-feira (20), em uma fazenda localizada em Ponta Porã. A queda e consequente incêndio da aeronave levou duas pessoas a óbito. O veículo estava carregado com grande quantidade de substância análoga à cocaína.

Levantamentos iniciais foram realizados durante todo o dia por equipe do DRACCO com apoio da 1ª DP de Ponta Porã e Seção de Investigações Gerais de Fátima do Sul.

Foram apreendidos no local 246kg de cocaína, providenciando-se a remoção dos destroços da aeronave do local, agora apreendidos junto ao DRACCO.

Os corpos foram encaminhados para o Imol de Ponta Porã com suas possíveis qualificações. Exames periciais e papiloscópicos foram requisitados para confirmação da identificação oficial visto que acabaram carbonizados em meio aos destroços da aeronave.

Publicado por: Carlos Eduardo

Leia Também:  Polícia Civil inicia investigações sobre queda de helicóptero com grande quantidade de cocaína em Ponta Porã
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA