POLÍCIA

Disque 181: ligações anônimas ajudam a polícia esclarecer crimes em MS

Em 16 anos de existência, serviço coordenado pela PM já atendeu 22,1 mil queixas em MS

Publicados

em

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul conta com um serviço anônimo de denúncias que mobiliza a sociedade na luta contra o crime e a violência. Desde que começou a funcionar em 2004, o “Disque Denúncia 181” já atendeu 22,1 mil ocorrências em todo o Estado, colocou fim a casos de tráfico doméstico de drogas e até ajudou a resolver um crime brutal em Campo Grande em 2010.

“O Disque 181 é um sistema desenvolvido no Paraná e cedido para Mato Grosso do Sul em 2004. Começou como narco denúncia, para combater o tráfico, e passou por uma reformulação em 2011 para atender queixas de todos os tipos de crime. No ano passado (2019) desenvolvemos um novo software para lançar o site Web Denúncia  e ampliar o atendimento”, explicou o coordenador do Disque 181, capitão Antônio Jurca Neto.

Carga de cocaína apreendida em Campo Grande

A principal característica do serviço é o anonimato, já que o cidadão não precisa se identificar. “Registramos o chamado e encaminhamos para a unidade competente verificar as informações”, ressalta o capitão Jurca. Enviadas para os batalhões de Polícia Militar, ou para as delegacias de Polícia Civil, as denúncias não expõem os denunciantes a qualquer tipo de risco.

Leia Também:  SED divulga segunda lista de designação neste domingo; matrícula começa na segunda

Com funcionamento 24 horas por dia, o Disque 181 contribuiu com a apreensão de diversos tipos drogas e de armas de fogo. Também ajudou na prisão de traficantes a na resolução de outros tipos de crime, como assassinatos.

Em julho deste ano, uma equipe do Batalhão de Choque apreendeu cerca de 400 quilos de cocaína dentro de um caminhão frigorífico em Campo Grande após denúncia feita pelo 181. A chamada anônima causou prejuízo de cerca de R$ 8 milhões ao crime organizado.

Denúncias feita pelo canal também auxiliaram na solução de crimes brutais. Entre eles, o homicídio de duas mulheres em dezembro de 2010. As vítimas foram encontradas degoladas em uma casa no bairro Tijuca, na Capital, e os autores do crime foram presos poucos dias depois.

As ligações efetuadas para o telefone 181 não têm custo para o cidadão. O serviço ainda funciona de forma ininterrupta pelo site www.181.ms.gov.br.

Bruno Chaves, Subcom
Fotos: Divulgação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Vítimas de tarados, 480 mulheres de MS foram alvo de atos obscenos e importunações sexuais em 2020

Nos últimos dias, vários casos foram denunciados à Polícia Civil

Publicados

em

Foto: Leonardo de França | Midiamax

Dados da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança) apontam que em 2020, 480 mulheres registraram ocorrências de assédio nas ruas de . Elas foram vítimas de crimes como importunação sexual e ato obsceno. Só nos primeiros 10 dias de 2021, já são 14 ocorrências do tipo, mostrando o risco ao qual as vítimas estão frequentemente expostas.

A diferença entre os dois crimes é que no ato obsceno, há uma exibição por parte do autor, que constrange a vítima. Já na importunação sexual, há algum tipo de contato entre autor e vítima, porém, sem ameaça grave ou violência. No entanto, se houver ameaça grave ou violência, o crime passa a ser tratado como estupro.

Conforme balanço feito pela Sejusp, no ano passado foram 102 ocorrências de ato obsceno e 378 de importunação sexual, dentre os quais 30 casos de ato obsceno e 129 de importunação sexual ocorreram somente em Campo Grande. Em todo o estado, já em 2021, são 2 de ato obsceno e 12 de importunação.

Leia Também:  Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes

Casos recentes

Na manhã da última terça-feira (12), uma mulher de 38 anos que voltava de uma caminhada no Parque Lageado, na Capital, foi abordada por um homem em um Gol que se aproximou e se masturbou olhando para ela. A ação foi filmada e o caso encaminhado à  (Delegacia de Atendimento à Mulher), onde foi instaurado inquérito.

Na tarde da quarta-feira (13), uma jovem de 24 anos foi perseguida por um homem que se masturbava em um ponto de ônibus na Rua José Carlos Silva de Almeida. Ela também registrou o ocorrido nas redes sociais e recebeu apoio da blogueira Mayra Cardi. Como no primeiro caso, esta ocorrência é tratada como ato obsceno.

Já na quinta-feira (14), em Aparecida do Taboado, a 457 quilômetros de Campo Grande, um homem foi preso pela Polícia Militar por se masturbar dentro de um hotel, enquanto encarava a funcionária do estabelecimento. Neste caso, o indivíduo foi levado à Delegacia  e autuado em flagrante por importunação sexual.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA