POLÍCIA

Decisão da Justiça impede atuação da PRF fora de rodovias federais

Pedido do MPF ocorreu após operações policiais conjuntas, com mortes

Publicados

em

A Justiça Federal decidiu impedir a atuação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em operações fora de rodovias federais. A 26ª Vara Federal do Rio de Janeiro aceitou pedido do Ministério Público Federal (MPF) para suspender o Artigo 2º da Portaria 42/2021, do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Segundo o artigo suspenso, a PRF poderia designar efetivo para integrar equipes em operação conjunta com outras forças, prestar apoio logístico, atuar na segurança das equipes e do material empregado, ingressar em locais alvos de mandado de busca e apreensão, mediante previsão em decisão judicial, lavrar termos circunstanciados de ocorrência e praticar outros atos relacionados ao objetivo da operação conjunta.

O MPF pediu a nulidade do Artigo 2º para impedir a atuação da PRF em operações policiais em locais como as comunidades localizadas dentro da cidade do Rio. A Justiça aceitou o pedido por considerar que ele viola o parágrafo 2º do Artigo 144 da Constituição Federal, que especifica que a PRF “destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais”.

Leia Também:  A carreta da panificação vem ai!

O pedido do MPF veio depois de três operações policiais, com a participação da PRF, que resultaram na morte de 37 pessoas, uma na comunidade do Chapadão (que deixou seis mortos), em março; e duas na Vila Cruzeiro (uma em fevereiro, com oito mortos, e outra em maio, com 23 mortos).

A assessoria de imprensa da PRF informou que, no momento, não fala a respeito do assunto. “Aguardamos o posicionamento oficial para divulgação”, acrescentou.

Edição: Graça Adjuto

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

EXECUÇÃO EM TRÊS LAGOAS (MS) – Sílvio leva tiro no peito após ‘mexer com casada’ em Três Lagoas

Polícia disse que o encontrou ‘agonizando e sangrando’ caído no asfalto

Publicados

em

Sílvio Rodrigues dos Santos, de 33 anos, morreu às 18h30, na Rua Macapá, na Vila Guanabara em Três Lagoas (MS). A Polícia disse que o encontrou “agonizando e sangrando” alvejado com um tiro no peito.

Segundo o registro de ocorrência, uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionada, entretanto, assim que a ambulância chegou ao local, Sílvio teve uma parada cardíaca. A equipe tentou reanimá-lo pelo período de 1h, tendo feito compressão toráxica e intubação, mas Sílvio não resistiu ao ferimento de tiro no tórax e morreu ainda no asfalto.

Conforme testemunhas ouvidas pela polícia, os tiros partiram de uma casa a 20 metros do local onde a vítima teria caído.

Indo ao local indicado, a polícia ouviu Ana Rafaela Freitas Silva, de 26 anos. A jovem contou que Sílvio teria passado em sua residência várias vezes e que, teria “mexido com ela de forma desrespeitosa”. Diante disso, o marido de Ana, Rafael Menezes do Carmo, de 29 anos, teria “ido tirar satisfação com Sílvio”. No ato, vítima e autor teriam discutido e Rafael efetuou dois disparos, um deles atingiu o peito de Sílvio que caiu no asfalto. Rafael está foragido desde então.

Leia Também:  A carreta da panificação vem ai!

Há a suspeita ainda de que Sílvio tivesse distúrbios psicológicos.

O caso foi registrado como ‘homicídio simples’, na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) de Três Lagoas.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA