POLÍCIA

Assassino de ator tirou título de eleitor falso em MS cinco dias após o crime em SP

Corregedoria do TSE apura o caso

Publicados

em

Em nota divulgada na noite de quarta-feira (4), o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apontou que  Matias tirou título de eleitor falso em Mato Grosso do Sul. Mais do que isso, o documento é datado de 5 dias após ele ter assassinado o ator Rafael Miguel e os pais dele em São Paulo (SP).

Ainda conforme o TSE, o documento está em nome de Manoel Machado da Silva, que o assassino passou a utilizar após fugir para Mato Grosso do Sul. Agora, a Corregedoria-Geral do TSE apura como Paulo conseguiu tirar o título com o nome falso.

Além disso, por ordem do corregedor-geral, ministro Luis Felipe Salomão, o juiz Richard Pae Kim determinou que seja comunicada a 19ª Zona Eleitoral do Estado, visando adoção das medidas cabíveis. Também deverá ser providenciado impedimento de votação com a inscrição fraudulenta.

Assassino de ator tirou título de eleitor falso em MS cinco dias após o crime em SP

Corregedoria do TSE apura o caso

Em nota divulgada na noite de quarta-feira (4), o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apontou que  Matias tirou título de eleitor falso em Mato Grosso do Sul. Mais do que isso, o documento é datado de 5 dias após ele ter assassinado o ator Rafael Miguel e os pais dele em São Paulo (SP).

Leia Também:  Com cobrança extra, conta de luz ficará mais cara a partir de terça

Ainda conforme o TSE, o documento está em nome de Manoel Machado da Silva, que o assassino passou a utilizar após fugir para Mato Grosso do Sul. Agora, a Corregedoria-Geral do TSE apura como Paulo conseguiu tirar o título com o nome falso.

Além disso, por ordem do corregedor-geral, ministro Luis Felipe Salomão, o juiz Richard Pae Kim determinou que seja comunicada a 19ª Zona Eleitoral do Estado, visando adoção das medidas cabíveis. Também deverá ser providenciado impedimento de votação com a inscrição fraudulenta.

Buscas em MS

No dia 9 de junho de 2019, em São Paulo, Cupertino atirou 13 vezes no ator Rafael, de 22 anos, que namorava a sua filha, e nos pais dele, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50. Todos estavam estava na casa da namorada de Rafael quando o crime ocorreu. Paulo não aceitava o relacionamento da filha, que à época tinha 18 anos.

Leia Também:  Na segunda onda, MS volta a ter cidades no grau de risco extremo da Covid

Nesta semana, o Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao ) ingressou nas investigações que tentam identificar o paradeiro de Paulo. Foragido, ele ficou ao menos oito meses escondido em Mato Grosso do Sul.

Por este motivo, o Departamento de Homicídios de São Paulo, onde os fatos ocorreram, acionou a  de Mato Grosso do Sul. O Dracco dá apoio juntamente com a Delegacia de Polícia de Eldorado, que é coordenada pelo delegado Pablo Ricardo Campos dos Reis. Cupertino estava em Eldorado, trabalhando como caseiro de uma chácara.

No entanto, ao perceber o cerco policial, fugiu do local, sendo visto pela última vez na terça-feira da semana passada. Ele havia sido contratado por Alfonso Helfenstein, dono da chácara e piloto de avião. Este também é foragido por envolvimento com o tráfico de drogas.

Apesar da suspeita de que Cupertino tenha ido para o Paraguai, as forças de segurança não descartam que ele esteja em território sul-mato-grossense.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

POLÍCIA CIVIL DE SELVÍRIA PRENDE CASAL QUE ESTUPRAVA OS PRÓPRIOS FILHOS.

Publicados

em

Na manhã de hoje (01), a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, por meio da Delegacia de Polícia de Selvíria, deu cumprimento a dois mandados de prisão, cujo alvo era um casal que, por anos, submetia os próprios filhos a abusos.

DOS FATOS: Chegou ao conhecimento da Polícia Civil, por meio do Conselho Tutelar de Selviria, a informação de que, no Assentamento Canoas, um pai estaria praticando abusos contra os filhos. Com o homem (43 anos), conviviam a esposa (36 anos) e quatro filhos (dois meninos de 04 e 17 anos e duas meninas de 11 e 14 anos). As investigações apuraram que o adolescente de 17 anos era, constantemente, vítima de maus-tratos praticados pelo pai, apresentando, inclusive, lesões pelo corpo. Em escuta especializada, a adolescente de 14 anos relatou, ainda, que sofria abusos sexuais, desde os 11 anos de idade, e o autor também seria o pai. Diante dos fatos narrados, requisitou-se exame de corpo de delito, que confirmou a suspeita. Constatou-se, ainda, que a outra menina, de 11 anos, também tinha sido vítima de abusos sexuais. Durante todos os anos de abusos físicos e psicológicos sofridos pelos filhos, a mãe teve ciência e nunca denunciou, pediu ajuda ou tentou impedir que os crimes acontecessem. A Polícia Civil, então, representou pela prisão preventiva do pai por estupro de vulnerável e maus-tratos; assim como da mãe, pelos mesmos crimes, pois tinha obrigação legal de defender os filhos e, ao se omitir, permitiu a prática reiterada dos delitos.

Leia Também:  Na segunda onda, MS volta a ter cidades no grau de risco extremo da Covid

Em tempo, a Delegacia de Polícia de Selvíria agradece e parabeniza o trabalho exemplar que o Conselho Tutelar vem desempenhando no município, e, em especial nesse caso, garantiu a proteção das crianças e adolescentes.

A Delegacia de Polícia de Selvíria apura ainda outros delitos, da mesma natureza, praticados pelo homem e já localizou outra vítima, hoje adulta, mas que foi violentada quando criança. Por isso, é solicitado que quem tiver informações sobre esse ou outros casos,

 

Procure a unidade policial ou denuncie através do whatsapp (67)3579-1166, garantimos o sigilo da fonte. Toda a sociedade é responsável pela proteção de crianças e adolescentes.

Qualquer sinal de abuso, DENUNCIE!!!

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA