MATO GROSSO DO SUL

Na segunda onda, MS volta a ter cidades no grau de risco extremo da Covid

Atualização do Prosseguir aponta que 23 cidades pioraram classificação de risco

Publicados

em

No dia em que voltou a registrar média de mais de 1 mil casos confirmados por dia, Mato Grosso do Sul também voltou a ter municípios no grau de risco extremo de Covid-19.

Dois Irmãos do Buriti e Naviraí são as cidades que se referiram na bandeira cinza.

Relatório situacional do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), com o grau de risco de todos os municípios do Estado foi atualizado nesta quinta-feira (3).

Conforme o mapa situacional, não comparativo com o boletim da semana passada, 23 cidades do Estado pioraram seu grau de risco, 44 ​​permaneceram na mesma faixa e 23 melhoraram.

Campo Grande, que é o epicentro da doença no Estado, se manteve no grau de risco alto, representado pela bandeira vermelha.

No total, são 13 municípios na faixa de risco tolerável (bandeira amarela), 44 no grau médio (laranja) e 22 no risco alto (vermelha) e dois no risco extremo (bandeira cinza).

Nenhuma cidade do estado se encontra no risco baixo, que é bandeira verde.

Leia Também:  Covid-19: Plano de MS prevê imunização de 144,5 mil pessoas na primeira etapa

Secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, afirmou que o retorno de municípios na bandeira cinza é consequência do crescimento da Covid-19 no Estado e que é necessária de medidas por parte dos prefeitos.

“Estamos nos esforçando para estruturar o sistema de Saúde e orientar os prefeitos sobre as medidas necessárias para melhora indicadores. Não podemos relaxar, especialmente agora – próximo às férias e festas de fim do ano, período em que o número de casos tende a aumentar “, alertou.

Boletim divulgado hoje aponta que, em 24 horas, foram confirmados 1.134 novos casos e mortes 11 por Covid-19 no Estado.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia

Publicados

em

Apesar do otimismo ocasionado pelo início da vacinação no Estado, a pandemia ainda não está próxima de acabar. Os números apontam para um aumento expressivo tanto no número de casos confirmados, como para os registros de mortes pela doença.

Durante a live desta quarta-feira, o governador Reinaldo Azambuja falou sobre a logística de entrega em 24 horas e sobre a manutenção dos cuidados com a biossegurança. Foi uma integração de resultados”, salientou referindo-se ao trabalho de entrega de vacinas desenvolvido pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

“É muito importante mantermos vigilantes A pandemia não passou, vidas estão sendo perdidas todos dias. Já somam 2.723 pessoas que perderam a vida, somos solidários às famílias que perderam entes queridos’, reforçou Reinaldo Azambuja.

Dados do Boletim

De acordo com o boletim epidemiológico desta quarta-feira (20) em apenas 24 horas mais de mil casos foram confirmados para a Covid-19. Com isso, o Estado passa a ter 153.067 sul-mato-grossenses que foram infectados pelo vírus.

Leia Também:  Eldorado Brasil oferece mais de 800 vagas para início imediato

Os números da SES (Secretaria de Estado de Saúde), de hoje, revelam que 18 pessoas vieram a óbito em um dia, com isso, 2.723 mortes por coronavírus foram registradas do início da pandemia até agora.

Em tratamento, 12.823 pessoas estão em isolamento social, enquanto que 540 estão hospitalizadas, sendo que 292 estão em leitos clínicos (194 na rede pública e 98 na rede privada) e 248 em leitos de UTI, com 180 pelo SUS e 68 nos hospitais privados do Estado.

O comprometimento de leitos no Estado segue preocupando, com 85% de ocupação dos leitos UTI/SUS na macrorregião de Campo Grande; de 80% em Dourados; 75% em Corumbá e 63% em Três Lagoas.

Acesse o detalhamento do boletim aqui.

Ana Brito, Subcom

Foto: Divulgação

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA