MATO GROSSO DO SUL

MS ganha novo HR, a maior fábrica de celulose do mundo e mais investimentos no interior do Estado

Publicados

em

Com foco na saúde pública, o governador Reinaldo Azambuja inaugurou nesta semana o Hospital Regional de Três Lagoas, que será referência na região da Costa Leste. Também entregou novo pacote de obras no interior e ainda anunciou a vinda de uma nova fábrica de celulose, que será instalada em Inocência e será a maior do mundo no setor.

Em Três Lagoas o governador lançou pacote de obras no valor de R$ 137,8 milhões, em setores como infraestrutura urbana, malha rodoviária, educação, esporte e assistência social. Entre os destaques está a pavimentação da rodovia da MS-320, no valor de R$ 76,8 milhões, que vai dispor de asfalto e drenagem em 31,425 km.

Governador anuncia novas obras em Três Lagoas

Para as vias públicas da cidade foi dada ordem de serviço de pavimentação da Avenida Custodio Andrews e convênio para recuperar a Avenida Jary Mercante. Os bairros Bela Vista, Santa Luzia, Santos Dumont, São Carlos e Nossa Senhora Aparecida vão receber restauração no asfalto e a Vila Nova II e Alvorada terão pavimentação.

Também houve entrega de reforma da Escola Estadual Afonso Francisco Trannin, novas arenas esportivas, 147 títulos de regularização fundiária, assim como cartão social a 90 famílias carentes. A cidade ainda vai ganhar uma ponte de concreto sobre o córrego Ribeirão Campo Triste.

Hospital Regional

Um grande sonho da população se tornou realidade, com a entrega do Hospital Regional da Costa Leste Magid Thomé, em Três Lagoas, que teve investimento de R$ 122,4 milhões. A estrutura será referência para toda Costa Leste do Estado, sendo o mais moderno de Mato Grosso do Sul.

 “Hospital vai fazer muita diferença para a cidade. Faz parte da regionalização da saúde. É um momento especial para os moradores da Costa Leste. A unidade não vai ter custo nenhum para os municípios. O Estado vai bancar o custeio mensal da unidade, com R$ 7 milhões”, afirmou o governador.

Leia Também:  Brasil registra 365 mortes e 30,2 mil casos de covid-19 em 24 horas
Hospital Regional de Três Lagoas vai atender a Costa Leste

Iniciado este março de 2017, o Hospital Regional foi construído em uma área de 26,4 mil metros quadrados, em um prédio com blocos setorizados, que vai dispor de 116 novos leitos. Ele contará com 460 funcionários diretos e mais 600 indiretos, chegando 1.060 empregos gerados na cidade.

A unidade terá internação e atendimento ambulatorial de média e alta complexidade, assim como consultas especializadas, pronto socorro, enfermaria, UTI adulto e pediátrica, clínica geral, serviços de Endoscopia Adulto e Infantil, Colonoscopia, Broncoscopia, Ultrassom/Dopler e Ressonância Magnética, entre outros procedimentos.

Nova fábrica de celulose

Governador anuncia nova fábrica de celulose no Estado, no município de Inocência

Com ambiente seguro e propício, Mato Grosso do Sul vai receber novo investimento bilionário do setor privado. O governador anunciou a implantação de uma fábrica celulose em Inocência, que pertence ao grupo chileno Arauco, uma das principais empresas madeireiras da América Latina.

O investimento estimado é de R$ 15 bilhões, beneficiando 14.300 famílias com geração de 12 mil empregos no pico da construção e 250 empregos diretos e 300 indiretos quando entrar em operação, além de 1,8 mil empregos permanentes na parte florestal. Será a maior fábrica do mundo de celulose.

“Vamos receber no Estado uma das maiores fábricas de celulose do mundo. Será uma unidade moderna, que vai gerar empregos, oportunidades, renda e desenvolvimento social em uma região que também integra a Costa Leste Florestal, mas que não tinha nenhum empreendimento deste tipo.  A vinda desta fábrica mostra a confiança dos investidores em Mato Grosso do Sul”, descreveu o governador.

Convênio e novos maquinários

Novos maquinários agrícolas para 40 municípios do Estado

Seguindo a política de valorização do campo, o Governo do Estado entregou mais 26 caminhões-caçamba e 19 motoniveladoras a 40 municípios do Estado. O Governo do Estado já entregou mais de 2,8 mil equipamentos agrícolas desde 2015 e a meta é chegar a 3,8 mil até o final do ano.

Leia Também:  Agosto Lilás: CREAS de Selvíria lança campanha para reforçar a importância de combater e denunciar a violência contra a mulher

Os novos equipamentos agrícolas fazem parte do programa Prosolo (Plano Estadual de Manejo e Conservação de Solo e Água). “Temos uma previsão que todos os 79 municípios vão receber, são motoniveladoras, caminhões, pás-carregadeiras e outros. Então, conforme as indústrias vão entregando é feito o repasse”, destacou.

Governador assina convênio com a Fiocruz

Para fortalecer a ciência e tecnologia, foi assinado convênio de R$ 14,854 milhões para instalação de uma Plataforma de Pesquisa Científica da Fiocruz em Mato Grosso do Sul. Ela poderá desenvolver novos insumos, como medicamentos e vacinas. O evento ocorreu no auditório do Bioparque Pantanal.

Medindo de 2,5 mil a 3 mil metros quadrados, o novo prédio será erguido ao lado do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), em Campo Grande. O prazo para construção e execução é de 12 meses. Os recursos são do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundect (Fundação de Ciência e Tecnologia).

Nomeações e 13° salário

Governador anuncia novas nomeações de servidores estaduais

Atendendo aos pedidos dos servidores estaduais, o governador anunciou a antecipação de metade do 13° salário, que será pago no dia 5 de julho. Será o segundo ano consecutivo que ele toma esta decisão para contribuir com o funcionalismo público. Os sindicatos elogiaram a iniciativa, alegando que este recurso chega em “bom momento” para quem precisa.

O governador também autorizou a convocação de 1.354 novos funcionários públicos para 26 funções na gestão estadual. O anúncio foi feito durante a inauguração do Hospital Regional da Costa Leste. As convocações começam a ser publicadas ao longo da próxima semana, de 27 de junho a 1º de julho. O impacto na folha será de aproximadamente R$ 11 milhões por mês.

“Com essas nomeações, o Governo do Estado irá reforçar a segurança dos presídios, as investigações policiais, melhorar o aprendizado dos nossos alunos, a fiscalização do Procon, o trabalho da Iagro e da Agraer, o atendimento à saúde e a atuação da procuradoria”, destacou o governador.

Leonardo Rocha, Subcom
Fotos: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

ABPO e o Instituto do Homem Pantaneiro unem-se em acordo para reduzir a perda de bezerros por predação de felinos

Publicados

em

A Associação Pantaneira de Pecuária Orgânica e Sustentável (ABPO) firmou um acordo de parceria e colaboração técnica, científica e operacional em conjunto com o Instituto do Homem Pantaneiro (IHP). A parceria foi formalizada no mês de julho, em Corumbá, em Mato Grosso do Sul, e tem como principal objetivo potencializar a experiência desenvolvida pelo IHP, por meio do programa Felinos Pantaneiros, para a proteção dos felinos e para a preservação dos recursos naturais do Pantanal tendo a Pecuária Sustentável, que há mais de 300 anos protege o bioma, como aliada.

“Com essa parceria, esperamos minimizar a perda de bezerros por felinos, por meio de estratégias de manejo como a localização das maternidades em áreas com menor predisposição, o que ajuda no controle de predação de onças; as fazendas que fazem parte da associação também atuam na prevenção e combate de incêndios, que são muito suscetíveis nas épocas de seca”, ressalta Eduardo Cruzetta, Presidente da ABPO.

Além da maternidade controlada por cercas elétricas, alarmes sonoros e luz repelente, a cooperação entre a ABPO e o IHP envolve o monitoramento dos animais silvestres, câmeras de monitoramento e o treinamento de brigadas de incêndio para atuarem de maneira coordenada no combate aos incêndios.

A atividade agrícola não é relevante no bioma pantaneiro e isso faz com que a região mantenha seu desenvolvimento econômico através da pecuária de corte, principal atividade econômica da região. Dessa forma, o método de pecuária produzido pela ABPO busca efetuar de forma social e ambientalmente responsável, um método menos invasivo que mantenha um equilíbrio com a natureza, equivalente a um sistema sustentável.

Leia Também:  Selviria amanhece com chuva, depois de quase 3 meses de tempo seco, veja a previsão do tempo de hoje

“Queremos cada vez mais valorizar a carne pantaneira, porque ela está atrelada à proteção da biodiversidade e de inúmeros processos ecossistêmicos que beneficiam a sociedade. Nós queremos, também, desenvolver uma estratégia de marketing que valorize a carne, onde a biodiversidade se faz presente. O Pantanal merece essa deferência”, afirma o presidente do IHP, coronel Ângelo Rabelo.

Com isso, as associações esperam encontrar uma alternativa para a construção de um meio ambiente equilibrado através do controle de predação de onças, monitoramento de animais silvestres e a prevenção e combate aos incêndios. Ambas as partes estão concentradas em seguir com a proteção ecológica e práticas de conservação que caminhem simultaneamente com as transformações culturais e as aspirações econômicas, além de manter práticas de desenvolvimento sustentável na região do Pantanal.

 

 

Sobre a ABPO

Criada em 2001 por pecuaristas da região do Pantanal, a Associação Pantaneira de Pecuária Orgânica e Sustentável (ABPO) busca sistematizar a produção para atender aos requisitos da Pecuária Orgânica Certificada brasileira e da linha Carne Sustentável do Pantanal, atuando com conceitos modernos de qualidade e desenvolvimento sustentável e busca melhorar a rentabilidade da atividade econômica na região pantaneira, através da valorização dos produtos locais certificados e do reconhecimento pela sociedade dos serviços ambientais prestados pela conservação da biodiversidade e dos recursos naturais pelos produtores.

Leia Também:  CIVILIZAÇÃO SECRETA - Empresa do 'pai do ET Bilu' usa laser e prova existência de "Ratanabá"

 

 

Sobre o IHP

 

Fundado em 2002, o IHP é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que atua na gestão de áreas, conservação e preservação do bioma Pantanal e da cultura local. Sua missão é “Preservar o Pantanal”. Tem sede em Corumbá – Mato Grosso do Sul.

Como programa principal da Instituição, está a gestão do Rede de Proteção e Conservação da Serra do Amolar (Rede do Amolar), criado em 2008 e que tem como finalidade propor ações de gestão integrada entre as organizações parceiras para proteção de 276.000 hectares, sendo que 201.000 hectares legalmente protegidos. A iniciativa surgiu a partir da parceria entre IHP, Instituto Acaia Pantanal, Fazenda Santa Tereza, Fundação Ecotrópica e Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense/Instituto Chico Mendes (ICMBio) e Polícia Militar Ambiental.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA