MATO GROSSO DO SUL

MS está preparado para vacinação e precisa imunizar 80% da população para cenário de tranquilidade

Publicados

em

Mato Grosso do Sul tem pronto o planejamento para a vacinação contra o coronavírus. Seja pelo Governo Federal ou pelo plano B do Governo do Estado, os sul-mato-grossenses têm assegurado imunização para a Covid-19, doença que matou milhares de pessoas ao redor do mundo. A informação é do secretário estadual de Saúde,  Geraldo Resende, que diz estar está confiante que a vacina chegará ao Mato Grosso do Sul no final de janeiro. “Seja da Pfizer, da Moderna ou do Butantan, estamos totalmente preparados para receber a vacina mais segura”, afirma.

Vacina pode chegar no final de janeiro, diz Resende

Resende espera que o planejamento do Governo Federal adquira a vacina de acordo com o PNI – Programa Nacional de Vacinação, do SUS, considerado um dos melhores programas do mundo. Mas caso ocorra qualquer eventualidade, o Estado, segundo ele, está preparado para colocar em ação o plano B. “Vamos conseguir vacinar os sul-mato-grossenses”, declarou, confiante.

Mesmo com a vacina, Resende deixa claro que nos primeiros meses de 2021 as pessoas deverão continuar com os cuidados e restrições. “Precisamos imunizar 80% da população para ficar mais tranquilos”, conclui.

Leia Também:  Ruas e avenidas de Selvíria recebem sinalização viária

Em onze meses convivendo com a crise sanitária e um vírus desconhecido e implacável, todo este esforço, ao que tudo indica, valeu muito a pena. “Muitos servidores nem tiraram as férias para nos ajudar”. São todos heróis, afirma, ressaltando que o Governo do Estado atendeu todas as necessidades da pasta.

Questionado se em algum momento desta tortuosa caminhada perdeu a fé, ele responde: “Nunca. Acredito que Deus prepara as pessoas para enfrentar as crises. E ele me preparou”, afirma.

Tempo de tempestade

No início da 52ª semana da pandemia no Estado, com números de contágio nos altíssimos patamares de 1,15% e taxa de mortalidade em 1,7%, o secretário faz um desabafo: “As pessoas não valorizam a vida. Nem a delas nem a dos outros”, e ainda soltou um palavrão imitando o que ele diz ser a reação dos jovens diante desta crise sem precedentes.

Indignado com o que ele chama de “desobediência e descompromisso” de quem não segue as regras de distanciamento, máscaras e cuidados essenciais, o secretário diz que está faltando empatia às pessoas. “O Governo do Estado está cumprindo o seu papel mas a população não ajuda”, reclama.

Leia Também:  MDB escolhe Simone Tebet para disputar presidência do Senado

A pandemia, segundo ele, ainda é muito desconhecida e pegou o mundo inteiro sem saber claramente como lidar com ela. O avanço exponencial da segunda onda, por exemplo, de acordo com Geraldo, é algo atípico, para o verão onde as doenças respiratórias costumam desaparecer. “Essa é uma época onde os casos de Dengue e Chikungunya aumentam’, explica.

Hospital Regional Covid -19 (Foto Saul Schramm

 

Com a mudança de cenário e o agravamento do número de casos da Covid- 19, o secretário teme o colapso da rede de hospitais. “Não temos leitos, não temos fisioterapeutas suficientes, precisamos contar com a consciência da população”, apela.

Theresa Hilcar, Subcom

Foto destaque: Agência Brasil

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Inscrições para vestibular de medicina se encerram nesta segunda-feira

Curso é um dos que mais formam médicos em Mato Grosso do Sul

Publicados

em

As inscrições para o vestibular de medicina da Uniderp se encerra nesta segunda-feira (11). Os interessados ainda têm tempo para se inscrever e realizar a prova na próxima sexta-feira (15). As inscrições podem ser feitas no site da Consultec, clicando aqui.

São 110 vagas destinadas para ingresso ainda no primeiro semestre de 2021. A taxa de inscrição do vestibular é de R$ 300. A prova será feita on-line devido a pandemia do coronavírus. O resultado da seleção está previsto para ocorrer no dia 22 de janeiro.

Em Mato Grosso do Sul, o curso de medicina é um dos que mais formam médicos com uma média de 120 profissionais por ano. Atualmente, o país conta com pouco mais de meio milhão de médicos, sendo mais de 6 mil só no estado.

O curso de Medicina da Uniderp oportuniza que todos alunos passem por aperfeiçoamento no Centro de Especialidades Médicas (Cemed), que presta assistência médica-ambulatorial em diversas especialidades, sob supervisão dos professores. Além do Cemed, os estudantes participam de estágios nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e Santa Casa de Campo Grande

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SED divulga segunda lista de designação neste domingo; matrícula começa na segunda
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA