MATO GROSSO DO SUL

MS alcança 1 milhão de pessoas vacinadas com a primeira dose contra Covid-19

Mais de 388 mil pessoas já estão completamente vacinadas no Estado

Publicados

em

Foto: Arquivo

Neste sábado (12), Mato Grosso do Sul atingiu 1.000.451 de pessoas vacinadas contra a Covid-19. Isso representa 35,61% da população inteira do Estado imunizada pelo menos com a primeira dose.

Em momento de superlotação de leitos e avanço da doença no Estado, a marca de 1 milhão é a esperança de uma população inteira vacinada. Os dados são do Vacinômetro da SES (Secretaria de Estado de Saúde), atualizado às 11h30 deste sábado (12).

No Estado, 388.239 pessoas foram vacinadas com a segunda dose contra a Covid-19. Assim, 13,82% da população total de MS já está completamente vacinada.

Do público da meta definida pela SES, 77,87% tomou a primeira dose e 30,22%, o reforço vacinal. Foram aplicadas 1.388.690 doses em todo o Estado, das 1.447.560 enviadas pelo Ministério da Saúde.

Nos últimos 30 dias, MS vacinou 335.048 pessoas com a primeira dose. No mesmo período, 136.139 pessoas completaram a vacinação com o reforço do imunizante.

Diariamente, cerca de 15,7 mil pessoas são vacinadas contra o coronavírus no Estado. Por fim, vale lembrar que MS tem se mantido como o primeiro na aplicação de imunizantes contra a Covid-19 no Brasil.

Avanço da Covid-19 no Estado

Apesar do grande número de vacinados, MS enfrenta momento crítico da Covid-19 e avanço da doença. Junho pode se tornar o mês mais letal da pandemia do coronavírus no Estado. Nos 10 primeiros dias do mês, já foram registradas 377 mortes por covid, número 74% maior que o verificado em 10 de maio, quando a SES informava 216 óbitos.

Leia Também:  Fóssil de dinossauro é encontrado no interior de SP

Até o momento, o mês mais mortal da pandemia em MS foi abril, que totalizou 1.393 vidas perdidas para o coronavírus. Para ter uma ideia da gravidade da situação, do dia 1º a 10 de abril, foram contabilizadas 399 mortes, apenas 22 a mais que o registrado em junho até agora.

Além disso, MS está com superlotação dos leitos. Desde o início do mês, o Estado se mantém com mais de 100% de ocupações das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) exclusivas para Covid-19. Assim, pacientes são atendidos além da capacidade hospitalar.

Do dia 1º ao dia 10 de junho, o Estado bateu duas vezes o pico de pessoas internadas ao mesmo tempo com covid, chegando a 1.339 em apenas um dia. Com a Saúde em colapso, situação reconhecida pela primeira vez pelo governo estadual, MS começou a tranferir pacientes para tratamento da doença em outras federações.

De acordo com a SES, até a última sexta-feira (11), 29 pessoas foram levadas para tratamento da Covid-19 em outros estados. Apesar dos esforços, a fila de pacientes à espera de uma vaga em UTI só cresce e atingiu 291 esta semana, colocando o estado com uma das maiores filas de espera do país, atrás apenas do Paraná e Minas Gerais e à frente até de São Paulo.

Leia Também:  Bolões e madrugadas em claro mudam rotina de torcedores na Olimpíada

Lockdown para frear a pandemia

Como alternativa para controlar o avanço da pandemia, o Governo do Estado decretou sistema semelhante ao lockdown para Campo Grande e outras 42 cidades classificadas com bandeira cinza e extremo risco de Covid-19. As classificações foram definidas pelo Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia).

Assim, apenas comércios considerados como essenciais podem funcionar na Capital e outros municípios de bandeira cinza. As medidas são válidas a partir deste domingo (13), quando o toque de recolher passa a ser das 20h às 5h em Campo Grande e mais 42 cidades de MS.

De acordo com o decreto publicado em Diário Oficial desta quinta-feira (10), levou-se em consideração pedido dos prefeitos realizado em reunião na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul). Os gestores pediram medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia no Estado, que ocupa há mais de uma semana o posto de estado com maior aumento percentual na média móvel de mortes do país.

*Matéria atualizada às 12h31 para acréscimo de informações sobre a situação da pandemia no Estado.

 

Informações – midiamax.com.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Na volta às aulas, Reinaldo Azambuja destaca investimento de R$ 289 milhões em reformas de escolas

Publicados

em

Mais de 200 mil alunos da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul voltaram às aulas presenciais nesta segunda-feira (2) depois de 16 meses de ensino remoto, por causa da pandemia de Covid-19. Ao voltar às atividades de forma alternada e seguindo protocolos de biossegurança, a maioria dos estudantes encontrou escolas reformadas e equipadas.

Felipe de Souza: feliz com a volta às aulas presenciais

Um dos prédios novos entregues pelo Governo do Estado é o da Escola Estadual Vespasiano Martins, de Campo Grande, que atende 232 estudantes e foi revitalizado com R$ 2,9 milhões. “Muito bom poder voltar e encontrar tudo novo. A expectativa agora é grande, rever os amigos e estudar presencial. Será bem legal esse segundo semestre”, disse o jovem Felipe de Souza, do 2º ano do ensino médio.

Ao recepcionar os alunos da unidade na acolhida de volta às aulas, o governador Reinaldo Azambuja detalhou os investimentos que têm sido feitos na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, que vão das reformas em prédios à valorização dos servidores da Educação, entre professores e administrativos.

Essa escola passou por reforma completa. Reconstrução, melhorias e laboratórios que estão sendo feitos em praticamente todas as 347 escolas da Rede Estadual. Estamos com mais de R$ 289 milhões em investimentos. Só neste momento, mais de 132 escolas passam por reformas como essa do Vespasiano Martins. Isso faz parte do conjunto e do trabalho que estamos realizando no setor educacional”, afirmou.

Leia Também:  Investimentos de R$ 4 bilhões na geração de energia em MS vão criar 15 mil empregos
Governador Reinaldo Azambuja destaca investimentos do governo na reforma de escolas e valorização de professores e administrativos da educação

Segundo o governador, a reestruturação da Rede contempla ainda a mudança no sistema de ensino. “Vamos entregar até 2022 praticamente 60% das 347 em escolas em tempo integral. Entendo que investimento em Educação é um conjunto, que vai da valorização dos profissionais da Educação aos alunos”, pontuou.

“Agora em outubro, enviaremos projeto de lei à Assembleia Legislativa para valorização dos administrativos, vou publicar também um novo concurso para professores e continuar fazendo a reestruturação da Rede, com laboratórios de tecnologia, salas de ciência e reformas de prédios”, completou.

Reinaldo Azambuja recepcionado pelos alunos da escola cívico-militar prof. Tito

Também nesta segunda-feira, o governador Reinaldo Azambuja inaugurou a construção do prédio da Escola Cívico-Militar Prof. Alberto Elpídio Ferreira Dias (Professor Tito). O prédio era uma obra inacabada que entrou no Programa das Escolas Cívico-Militares (Pecim), do Governo Federal, em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar, e vai atender 404 alunos.

Leia Também:  Na volta às aulas, Reinaldo Azambuja destaca investimento de R$ 289 milhões em reformas de escolas

A unidade foi construída com R$ 4,4 milhões e possui 14 salas de aula e quadra de esportes coberta com arquibancada, totalizando 3,6 mil m² de área construída. A unidade ainda tem biblioteca, cantinho da leitura, sala de informática, cantina, despensa, área de descanso, espaço de múltiplo uso e um palco, além de toda estrutura administrativa e banheiros, todos com acessibilidade.

Acompanharam o governador no acolhimento de volta às aulas a secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, e o adjunto da pasta, Édio Rezende; o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira; o secretário estadual de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos de Mato Grosso do Sul em Brasília, Pedro Chaves; o diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Miranda; e os comandantes do Corpo de Bombeiros, coronel Hugo Djan, e da Polícia Militar, coronel Marcos Paulo Gimenez.

Bruno Chaves, Subcom

Fotos: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA