MATO GROSSO DO SUL

Levantamento da Sejusp aponta êxito nas ações de combate à criminalidade em Mato Grosso do Sul

Publicados

em

Mato Grosso do Sul segue apresentando bons números no que se refere a segurança pública. Balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), dos meses de janeiro a setembro de 2021, mostra queda nos índices de criminalidade, se comparado ao mesmo período do ano passado.

O destaque está em Campo Grande, que obteve queda expressiva de 88,9% nos crimes de feminicídio. Em 2020, nove mulheres foram vítimas, enquanto em 2021, apenas uma. A Capital também teve queda nos crimes de homicídio doloso (-16,5%), homicídio culposo no trânsito (-8,7%), roubo (-9,7%), roubo seguido de morte (-60%), roubo em via urbana (-10,2%), roubo em comércio (-11,4%), e furto de veículos (-11,7%).

No interior do Estado dos 12 tipos de crimes monitorados pela Sejusp, 6 apresentaram queda: homicídio culposo no trânsito (-5,8%), roubo (-9,4%), roubo em via urbana (-16,3%), roubo ao comércio (-11,8%), furto de veículos (-10,5%) e furto em residências (-4,2%).

Secretário Antonio Carlos Videira diz que os números mostram o resultado dos investimentos do Governo na segurança pública

Para o titular da Sejusp, Antonio Carlos Videira, a redução nos índices de criminalidade é resultado dos investimentos em segurança pública. “Desde o ‘MS Mais Seguro’, que foi o maior programa de segurança pública da história de Mato Grosso do Sul, houveram investimentos de mais de R$ 160 milhões na nossa segurança que vão desde a capacitação dos servidores até a contratação, regularização de promoções e investimentos em tecnologias, renovação da frota, mas principalmente na inteligência que fomenta a integração e que gera os resultados que nós esperamos, ou seja, redução dos índices de criminalidade e maior sensação de segurança pública”, disse.

Leia Também:  MS registra surto de doença ‘mão-pé-boca’ em crianças

Apreensão de drogas

Fronteira com dois países: Paraguai e Bolívia, Mato Grosso do Sul teve aumento na apreensão de drogas. De janeiro a setembro deste ano foram 578,2 toneladas, enquanto em 2020 foram 577,2 toneladas. Desse total, o maior volume de entorpecentes apreendidos foi o do crack, com aumento de 9.687%, seguido da cocaína (161%) e pasta base, que apresentou aumento de 72%. Entre janeiro a setembro deste ano, 3.473 ocorrências de tráfico de drogas foram registradas em Mato Grosso do Sul.

“Esse ano já nos aproximamos das 580 toneladas. A maioria dessa droga tem como destino grandes centros consumidores, porém, há uma forte atuação no combate ao tráfico doméstico, aquele que fomenta crimes de furtos e roubos e nessa área também tivemos reduções importantes”, disse o secretário, citando aumento no número de viaturas, o lançamento do OCOP (Obtenção de Capacidade Operacional Plena), da Policia Militar (PMMS). “Na medida em que você fiscaliza mais o trânsito, estando mais presente na Capital e nos bairros, você consegue prevenir crimes. Tem sido uma constante as reduções e o grande desafio é manter a excelência da segurança pública em todo o Estado do Mato Grosso do Sul e mantê-lo sempre sendo o modelo para o restante do país”, concluiu.

Leia Também:  Presidente diz que Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown

Joilson Francelino, Sejusp

Foto: Divulgação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

MS está entre os melhores e ocupa o 2º lugar no Ranking da Qualidade de Informação Contábil e Fiscal do Tesouro Nacional

Publicados

em

Mato Grosso do Sul se destaca como o 2° melhor estado do País no Ranking da Qualidade de Informação Contábil e Fiscal do Tesouro Nacional. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (24) pela instituição, que fez uma avaliação em relação aos dados de 2020.

Novamente em destaque nacional, o Estado conseguiu obter 91,47 pontos, letra “A”, ficando na 2° posição entre os demais entes da federação. Só esteve atrás de Pernambuco, que obteve 92,6 pontos. A lista dos cinco melhores ainda aparece Rondônia (91,38), Espírito Santo (90,55) e Paraná (90,32). (Confira a lista completa).

Este ranking avalia a consistência das informações (contábeis e fiscais) que são enviadas pelos estados ao Tesouro Nacional, por meio do Siconfi (Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro), que logo depois disponibiliza estes dados ao acesso público.

A intenção é fomentar a melhoria da qualidade dos dados de cada estado, para que tais informações sejam usadas pelo Tesouro Nacional. O Governo do Estado mostra novamente que se preocupa com a transparência e modernização do sistema de informações em relação as suas receitas, contas e patrimônios.

Leia Também:  Nova variante da Covid, potencialmente mais transmissível, é detectada na África do Sul

“Nós enviamos estes dados ao Tesouro de forma mensal, bimestral e quadrimestral, tendo que além de cumprir os prazos solicitados, atender as exigências requisitadas e ter qualidade nas informações enviadas. Esta avaliação positiva mostra que estamos no caminho certo”, destacou a Contadora Geral do Estado, Oraide Serafim Baptista Katayama.

Fonte: Tesouro Nacional

Evolução

Mato Grosso do Sul evolui no ranking do Tesouro Nacional, já que em relação a 2019 ocupava a 7° colocação entre os estados e agora já está na vice-liderança. Para conseguir melhorar no índice foram adotadas uma série de medidas que ajudaram nesta avaliação para 2020.

“Foram vários procedimentos adotados, entre eles maior rapidez para consolidar os dados mensais, até o 5° dia útil recebemos os dados de cada unidade, para consolidar e enviar no prazo certo ao Tesouro. Também começamos a registrar os dados patrimoniais em relação a todos os sistemas de informática do Estado e já começamos o levantamento também dos imóveis, para dar mais qualidade às informações”.

Oraide citou algumas mudanças em relação ao registro da receita do Estado, com a divulgação e envio de dados sobre estimativa e previsão de arrecadação, além de outros procedimentos para atender as exigências do Tesouro Nacional. “Desde 2008 houve mudança nas exigências e prazos do Tesouro Nacional e em 2018 criado o ranking entre os estados. Esta avaliação é muito importante e estamos no topo”.

Leia Também:  MS registra surto de doença ‘mão-pé-boca’ em crianças

Leonardo Rocha, Subcom
Foto: Edemir Rodrigues/Arquivo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA