MATO GROSSO DO SUL

Com atuação do Governo, nova fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo terá investimento de R$ 14,7 bilhões

Investimento privado anunciado pela Suzano vai gerar mais de 10 mil empregos diretos entre 2021 e 2024, período de construção da indústria

Publicados

em

Mato Grosso do Sul vai receber o maior investimento privado do país nos próximos três anos. A Suzano anunciou ao mercado nesta quarta-feira (12) que vai investir R$ 14,7 bilhões na construção de uma nova indústria de celulose. O Projeto Cerrado será instalado em Ribas do Rio Pardo e terá capacidade para produzir 2,3 milhões de toneladas de celulose de eucalipto por ano.

A previsão é de que a unidade entre em operação no primeiro trimestre de 2024 e até lá o município deve receber mais de 10 mil trabalhadores na fase de obras. O anúncio representa uma importante conquista para o Governo do Estado, que dentro da política de atração de investimentos e ambiente de negócios, tem trabalhado para atrair indústrias e consequentemente agregar valor à produção e gerar empregos.

Em videoconferência entre a diretoria da Suzano e o Governo do Estado, com a participação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Paulo Corrêa, o governador Reinaldo Azambuja e o presidente da Suzano, Walter Schalka, assinaram um protocolo de intenções, onde assumem os compromissos pertinentes  à instalação da indústria. A terraplanagem no município já começou, gerando intensa movimentação econômica no município de 25 mil habitantes.

“Nosso governo preparou Mato Grosso do Sul para diversificar sua economia e se transformar em um novo celeiro de oportunidades de negócios. Temos investido em infraestrutura e, com isso, garantido competitividade às nossas commodities. Nosso programa de incentivos fiscais tem gerado milhares de empregos e atraído mais indústrias, mantendo o ritmo do crescimento econômico uniforme em todo o Estado. O anúncio da Suzano de construção da fábrica em Ribas do Rio Pardo demonstra que estamos no caminho certo, transformando Mato Grosso do Sul em um Estado de oportunidades para todos, com sustentabilidade e qualidade de vida para nossa população”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Leia Também:  SES prepara distribuição das 70.160 doses de vacina contra a covid-19 em MS

Em videoconferência, equipe do Governo do Estado assinou protocolo de intenções para MS receber a instalação da maior indústria de celulose do mundo 

Secretário Estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel ressaltou que o Governo está construindo todas as condições necessárias para a implantação do Projeto Cerrado, que vai mudar o perfil econômico de Ribas de Rio Pardo. “Temos projetos de infraestrutura e logística que vão potencializar o escoamento da produção e dar condições da unidade operar por completo. Embora o projeto seja para Ribas do Rio Pardo, todo a região será beneficiada, como os municípios de Campo Grande e Água Clara”, ponutou.

O secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) lembrou que Mato Grosso do Sul é o segundo Estado no Brasil na produção de eucaliptos, com mais de 1,7 milhão de hectares plantados.

“A implantação da Suzano em Ribas do Rio Pardo vai transformar a região. A nossa quarta indústria de celulose no Estado, além de gerar milhares de empregos no período de obra e quando estiver concluída, é o modelo de empreendimento sustentável que estamos fomentando para o nosso Estado, seguindo o conceito de indústria 4.0, com autossuficiência em energia limpa e outras práticas de ESG”, destacou o titular da Semagro.

Leia Também:  Governo autoriza início de estudos técnicos para implantação de Centrais de Energia Fotovoltaica

Segundo o presidente da Suzano, Walter Schalka, a nova fábrica representa um importante avanço na estratégia de longo prazo da empresa. “A Suzano já está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas a partir de seus produtos e, como líder global, está comprometida em atender à crescente demanda global por produtos de origem renovável. Este projeto também trará uma relevante contribuição na geração de renda e emprego, bem como na capacidade de captura de carbono advinda da expansão da base florestal”, afirmou.

Prefeito de Ribas do Rio Pardo, João Alfredo destacou que este 12 de maio de 2021 representa um dia histórico para a cidade. “Fica no passado uma história de economia privada, para novos tempos de industrialização sustentável. Mais dignidade e qualidade de vida para os moradores, a partir da geração de empregos e movimentação econômica. Cabe a Ribas do Rio Pardo comemorar hoje a chegada de novos tempos.

Outro ganho a ser proporcionado pela nova fábrica para mitigar os efeitos das mudanças climáticas está relacionado ao aumento da oferta de geração de energia renovável no Brasil. A planta terá capacidade para exportar aproximadamente 180 MW médios ao sistema elétrico nacional. A nova unidade caminha para ser a primeira fábrica do setor de papel e celulose no Brasil, considerada livre de combustível fóssil, um novo marco da Suzano em ecoeficiência, que evidencia o compromisso com a sociedade e com o planeta.

Priscila Peres, Semagro, e Bruno Chaves, Subcom
Fotos: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Semana começa com restrições em 43 cidades do MS; confira o que pode e não pode

Publicados

em

Quarenta e três cidades do Estado iniciam a semana na “bandeira cinza” (de grau extremo) do Prosseguir. Todas elas terão que seguir uma série de restrições com o objetivo de frear a pandemia de covid-19. Nesses municípios, só poderão funcionar os serviços considerados essenciais.

Conforme a Consultoria Legislativa do Governo (Conleg), a bandeia cinza do Prosseguir só permite a venda de bebidas alcóolicas no sistema “delivery”, não sendo permitida a compra nos supermercados, conveniências e estabelecimentos comerciais similares. Nas demais bandeiras está autorizada a venda.

Já os supermercados poderão abrir normalmente, funcionando inclusive após o toque de recolher. Para as cidades que estão na bandeira cinza foi fixado toque das 20h até às 5 da manhã. Assim como os açougues e conveniências que vendem alimentos. Eles terão apenas que cumprir as medidas de biossegurança determinados para as atividades.

Os shoppings ficarão fechados nas cidades de bandeira cinza e abertos nas demais bandeiras, seguindo as regras já preestabelecidas. As agências bancárias e lotéricas poderão abrir as portas porque são considerados serviços essenciais, em todas as classificações dos municípios.

O que pode ou não em cada classificação?

 

Estão na bandeira cinza os municípios Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Anastácio, Antônio João, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Camapuã, Campo Grande, Chapadão do Sul, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Deodápolis, Dourados, Fátima do Sul, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jardim, Juti, Maracaju, Miranda, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Novo Horizonte do Sul, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rio Brilhante, São Gabriel do Oeste, Selvíria, Sete Quedas, Sidrolândia, Terenos e Três Lagoas.

Leia Também:  Aquecimento global ameaça cidades costeiras, alertam peritos da ONU

Os serviços do Governo do Estado e dos Poderes estaduais vão funcionar em todas as bandeiras, por serem considerados essenciais. Em repartições como o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) o serviços vão estar disponíveis para população.

Lojas e estabelecimentos

Nas lojas e estabelecimentos comerciais o seu funcionamento depende da bandeira de classificação. Na cinza só abrem aquelas que são de atividades essenciais, como o comércio de alimentos, produtos de higiene e saúde, já no caso do setor de vestuário por exemplo, só podem funcionar no sistema delivery. Neste caso fecha ao público, mas o funcionário pode trabalhar normalmente.

Os estabelecimentos da construção civil também podem funcionar na bandeira de “grau extremo”.  Já as escolas são consideradas essenciais, permanecendo abertas até na classificação cinza, no entanto continua vigente o decreto 15.644, que exige que todos os empreendimentos e atividades funcionem com 50% da capacidade instalada.

Condomínios

Os espaços comuns de condomínios são considerados não essenciais de alto risco. Então, só podem funcionar na cidade que está na bandeira amarela. Na atual classificação não podem funcionar, pois nenhuma cidade está nesta condição no Estado.

Leia Também:  Brasil antecipou mais de 16 milhões de doses de vacinas, diz Queiroga

Os postos de vacinação também vão seguir seus horários fixados, já que é considerado um serviço de saúde, portanto segue como essencial e permitido em todas as bandeiras.

A nova definição dos municípios no programa “Prosseguir” foi publicada nesta quinta-feira (10), no Diário Oficial do Estado. Suas regras passam a valer a partir de amanhã (11) até o dia 24 de junho. Desta vez tem um caráter vinculativo, ou seja, deve ser cumprido pelos 79 municípios do Estado. Veja a classificação

Conforme o decreto, os municípios que não adotarem as recomendações deverão apresentar justificativa técnica para o descumprimento das regras. O documento deverá ser encaminhado à SES (Secretaria de Estado de Saúde), que fará a avaliação do caso.  Confira o documento

O descomprimento das regras estabelecidas pelo Prosseguir poder gerar sanções, confome o Art. 7º do  Decreto 15.644 de 31 de março de 2021.”A inobservância às disposições deste Decreto sujeita o estabelecimento infrator às sanções legais, dentre elas as previstas na Lei Estadual nº 1.293, de 21 de setembro de 1992, incluídas a interdição,
parcial ou total, e o cancelamento de alvarás de licença de funcionamento, nos termos dos arts. 325 e 326 da
referida Lei. Também pode ser configurado como crime contra a Saúde Pública.

Leonardo Rocha, Subcom
Foto: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA