GERAL

Novo Mapa do Feminicídio, edição 2021, contará com novos indicadores da violência contra a mulher

Publicados

em

A subsecretaria de Políticas de Públicas para a Mulher, do Governo do Estado, em parceria com a Secretaria de Governo e Secretaria de Justiça Pública, definiu a atualização do Mapa do Feminicídio, edição 2021, que deverá ser lançado no dia 1º de junho. A reunião de trabalho foi realizada nesta terça-feira (09).

Luciana Azambuja ressalta que mudanças do Mapa do Feminicídio são importantes para direcionamento de ações

A discussão sobre os indicadores, que podem auxiliar em uma análise mais assertiva em relação aos casos de feminicídio no Estado, foi conduzida pela subsecretária Luciana Azambuja e contou com a colaboração do perito criminal, representando o Instituto Médico Legal, Eduardo Carvalho de Almeida, da delegada titular da DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) de Dourados, Paula Ribeiro e com a delegada que atua na DEAM de Campo Grande, Maíra Pacheco Machado.

Entre os pontos levantados como pertinentes e, portanto, que devem ser incluídos no próximo levantamento, estão a inclusão de elementos contundentes (fogo, asfixia, etc) como instrumento específico de agressão e, consequentemente, assassinato; a objetificação do corpo feminino; etnias; análise de crimes sexuais, entre outras informações importantes.

Leia Também:  De forma remota, mais de 194 mil estudantes da REE retornam ano letivo de 2021

“Vamos apresentar a análise dos 39 casos de feminicídio ocorridos em 2020, com evidências e com base em estatísticas reais, para então formularmos políticas públicas de prevenção às mortes violentas de mulheres. Com esse incremento de informações, poderemos adotar medidas mais eficientes de combate e de prevenção”, ressalta a subsecretária, Luciana Azambuja.

Durante a reunião de trabalho, o coordenador do Imol, Eduardo Carvalho de Almeida, acrescentou que o detalhamento do crime, pode ajudar a traçar um perfil dos casos ocorridos. “Se pudermos especificar a parte do corpo atingida no crime, por exemplo, nos dará a ideia clara da objetificação do corpo feminino, importante informação para o Mapa do feminicídio”.

Entre os detalhes analisados, a delegada Maíra ressaltou que crimes sexuais precisam de análise para o estudo, assim como outros elementos, destacando ainda o relevante trabalho de perícia para elucidação dos casos. “Assim como é de fundamental importância a conservação do local do crime”.

Por último, a delegada Paula deu ênfase ao combate ao que é chamado de ciclo da violência, que resultado em mortes e aumento da violência. “O ciclo da violência dura, em média dez anos. Muito tempo e, como uma vez uma vítima me disse: a gente fica com o marido violento até a hora que ele bate em nossos filhos, daí damos uma vasta”, a análise da delegada mostra um período muito longo de violência e que pode terminar na morte da mulher agredida.

Leia Também:  Detran Digital: Em um ano, número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%

Clique aqui e acesse o atual Mapa do Feminicídio, edição 2020.

Ana Brito, Subcom

Foto: Edemir Rodrigues

 

 

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Detran Digital: Em um ano, número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%

Publicados

em

O número de CNH´s (Carteiras Nacionais de Habilitação) emitidas nos dois primeiros meses deste ano por meio do portal CNH Ágil já representa o dobro do registrado no mesmo período do ano passado. Enquanto no mês de janeiro e fevereiro de 2020 foram 2.275 habilitações emitidas por meio do canal digital, este ano o número chegou a 4.171, representando um aumento de 45,46%.

A diretora de Habilitação do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul), Lina Issa Zeinab, comenta que os números são reflexo da mudança cultural dos condutores que estão cada vez mais utilizando os serviços digitais que o Detran oferece.

“A pandemia trouxe uma nova consciência aos condutores no quanto a evitar serviços presenciais sempre que possíve e a tendência é que esse número cresça ainda mais já que o Detran tem aumentado leque serviços digitais, como o serviço de atualização de endereço, lançada na última semana”, explica.

Durante os dois primeiros meses deste ano, o órgão também registrou um aumento de 26% na emissão da primeira habilitação, passando de 3.386 em 2020 para 4.601 documentos emitidos em 2021.

Leia Também:  "Dia inesquecível", diz Pelé, 80 anos, ao ser vacinado contra covid-19

Para o diretor-presidente do Detran-MS, Rudel Trindade, a evolução dos meios digitais, implementados pelo Detran, trazem mais facilidade, rapidez e comodidade”, enfatizou.

Atualização de Endereço:

Na última semana o Detran disponibilizou mais dois serviços no Portal de Serviços – Meu Detran, a atualização de endereço do condutor e do veículo. O que antes era realizado de forma presencial, agora pode ser feito a qualquer momento e de qualquer lugar.

Os condutores e proprietários de veículos interessados em utilizar o serviço devem acessar: www.meudetran.ms.gov.br ou app Detran-MS, realizar o seu cadastro e procurar pelo serviço correspondente -> Alteração de Endereço de Condutor ou Alteração de Endereço de Veículo.

Viviane Freitas, Detran

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA