GERAL

Na primeira semana, aeródromo de Santa Maria registrou média diária de seis operações noturnas

Publicados

em

Nos primeiros dias de operação noturna, o aeródromo Santa Maria registrou aumento considerável no movimento de aeronaves. Nova opção para a aviação noturna em Campo Grande, o balizamento da pista foi entregue no último dia 6 de maio.

Conforme o superintendente viário da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Derick Machado, responsável pelas operações dos Aeroportos do Estado, nos cinco dias que antecederam a entrega do balizamento da pista, o aeródromo registrou 172 movimentos de aeronaves e, nos cinco dias depois, foram 205, um acréscimo de 33 operações a mais que a semana anterior.

Derick Machado

Esse acréscimo é de operações noturnas oriundas, em sua maioria, de São Paulo. “É uma demanda até superior ao que esperávamos. Essas 33 operações divididas em cinco dias dá uma média de seis operações por dia, a gente esperava metade disso. Como o aeródromo iniciou a operação noturna recentemente, muita gente ainda desconhece que ele está operando dessa forma. A expectativa é de que aumente nos próximos dias”, disse.

Leia Também:  7ª edição da campanha ‘Aqueça uma vida’ arrecada doações até o dia 24 de maio

O controle da movimentação no aeródromo, tanto durante o dia quanto à noite, é feito pela Seinfra. À noite, segundo Derick, é necessária uma comunicação prévia, já que o balizamento não fica ligado a noite inteira. “O aeródromo funciona 24h por dia, mas o balizamento precisa ser coordenado. O sistema de iluminação precisa ser ligado com uma hora de antecedência”, disse.

Projetado para também funcionar como auxiliar ao Aeroporto Internacional Ueze Elias Zahran, apenas em caso de emergência, mas ainda não houve a necessidade desse tipo de ocorrência nesses primeiros dias.

O investimento

Secretário Renato Marcílio

Para operar a noite, o aeródromo precisou da autorização da Agência Nacional de Aviação (ANAC) e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), garantidas após a conclusão da instalação da iluminação noturna das pistas de pouso, decolagem e taxiamento. Além da iluminação, a equipe Técnica da Superintendência Viária fez os projetos necessários e apresentaram para os órgãos de controle mencionados acima, aos quais foram aprovados e homologados para reconhecimento das novas características da pista, que antes tinham as dimensões de 1.100 x 23 metros, passando após os projetos para 1.500 x 30 metros.

Leia Também:  Global Big Day 2022: ação pretende estimular ainda mais a observação de aves no MS

“Essa obra proporciona melhores condições para quem usa o aeródromo, além de permitir mais uma opção de pousos noturnos em Campo Grande, trazendo também desenvolvimento à nossa capital”, disse o titular da Seinfra, Renato Marcílio, sobre o investimento de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Joilson Francelino, Seinfra
Foto: Chico Ribeiro

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Saiba como evitar acidentes graves com uso de panela de pressão

Manuseio inadequado pode provocar acidentes fatais

Publicados

em

Para muita gente que cozinha ou que quer cozinhar, a panela de pressão é um dos utensílios mais temidos. O receio não é pra menos. Se manuseada de forma inadequada, ela pode explodir e provocar acidentes graves, em algumas situações, até fatais. Foi o que aconteceu no último Dia das Mães (8), em Ceilândia, cidade a cerca de 30 quilômetros (km) do centro de Brasília. A cozinheira de um restaurante, Jade do Carmo Paz Gabriel, de 32 anos, morreu após a explosão de panela de pressão no restaurante em que trabalhava.

A mulher chegou a ser socorrida por unidades avançadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e equipes de socorro do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF), mas ferida gravemente, sofreu parada cardiorespiratória e não resistiu. Outros dois funcionários do estabelecimento também foram atingidos, mas sem gravidade.

Orientações

Procurado pela Agência Brasil, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), destacou que a primeira dica de segurança para panela de pressão é a presença do selo de conformidade do Inmetro. “A certificação para panela de pressão é compulsória. Não identificando o selo, não compre. Ele é a indicação de que o produto foi testado nos requisitos de segurança, como a quantidade de água”, afirmou a autarquia.

Leia Também:  Lula vai casar! Tudo o que já sabemos sobre a cerimônia do ex-presidente

Outra dica do instituto é nunca adquirir o utensílio no comércio ambulante. Pedir sempre a nota fiscal de uma loja é a garantia de troca em casos de defeito. O próximo cuidado é saber qual a capacidade da panela de pressão, ou seja, quantos litros ela comporta. Essa informação está descrita no manual do fabricante.

Durante a utilização da panela um item que também deve ser observado é a válvula com pino. Uma panela de pressão cheia demais pode entupir esse dispositivo de segurança e até causar uma explosão. Segundo especialistas, a válvula foi feita para liberar vapor, logo, se durante o uso a panela parar de fazer aquele chiado característico, pode indicar que foi obstruída. Nesse caso, a orientação é desligar o fogo imediatamente. Em seguida, com o auxílio de um garfo ou colher, deve ser feito um movimento para cima com a válvula para que o vapor dentro da panela escape. Essa última manobra nunca deve ser adotada se a panela estiver funcionando normalmente e se o objetivo for apenas acelerar a saída da pressão.

Leia Também:  Saiba como evitar acidentes graves com uso de panela de pressão

Outro sinal de problema é a liberação de vapor pela área circular onde fica localizada a borracha. Isso significa que a vedação está prejudicada e a borracha precisa ser substituída. “Caso haja necessidade de reposição de alguma peça, sempre procure por peças originais junto aos representantes autorizados pelo fabricante”, alerta o Inmetro.

Ao utilizar panelas desse tipo, assim que ela começar a soltar vapor, o fogo deve ser diminuído, pois se a água no seu interior já está fervendo, a chama alta não vai alterar a temperatura do seu interior.

O Capitão Paulo Jorge, oficial de informações públicas do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, acrescenta que essas panelas nunca devem ser abertas sem que toda a pressão tenha saído. O militar observa que esta prática comum entre cozinheiros não deve ser feita.

“Jamais coloque essas panelas sob a água da torneira para acelerar a retirada do vapor”, alerta. Paulo Jorge lembra que uma panela de pressão não pode ser preenchida totalmente: pelo menos 1/3 dela deve ficar vazia para acúmulo de pressão.

Edição: Valéria Aguiar

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA