ECONOMIA

Projeto “PROPEIXE” prevê duplicar a produção de processamento até 2022 no Estado

Piscicultura contará com instrumento para aumentar a produção durante os próximos ano; projeto é esperança para secretários e produtores

Publicados

em

Produção de pescado gera emprego e renda. - Divulgação

Para ajudar na produção, a piscicultura de Mato Grosso do Sul passará a contar com um instrumento de apoio. Desenvolvido pela Semagro, o Programa Estadual de Fortalecimento da cadeia produtiva do peixe (PROPEIXE) foi lançado nesta quarta-feira (7) e tem como objetivo aumentar o processamento de peixes até 2022.

Mato Grosso do Sul conta com 7 polos de produção de pescado, distribuídos nas regiões Norte, Centro, sudoeste, fronteira, Grande Dourados, e Cone Sul, a maioria destes, de pequenos produtores, com a Costa Leste tendo a maior produção de tilápia.

Atualmente, o Estado é responsável por 84,84% das vendas externas brasileiras de tilápia, liderando o ranking de maior exportador do produto.

O secretário Jaime Verruck, da Semagro, conta que o setor está em expansão “Temos investimentos sendo realizados em cinco municípios do Estado com previsão de início em 2021, o que mostra o potencial para crescimento do setor e a necessidade de apoio do Governo.”

Ele ainda explica que o programa foi construído no momento ideal e as principais metas para o PROPEIXE são dobrar a produção e aumentar a capacidade de processamento, para colocar Mato Grosso do Sul entre os 5 maiores produtores do país – hoje o Estado se encontra em oitavo.

Leia Também:  Explosão deixa pelo menos 13 mortos em Damasco

O superintendente de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro, Rogério Berretta, informou que Mato Grosso do Sul tem hoje uma capacidade instalada para processamento de 40 mil toneladas anuais, e para produção, 23 mil toneladas.

Nos próximos dois anos esse valor deve subir para 62 mil toneladas, precisando produzir mais para atender essa demanda.

Já o Secretário de Aquicultura e Pesca do Mapa, Jorge Seif Junior, acredita que a produção de pescado gera emprego, renda e segurança alimentar. Além disso, se Mato Grosso do Sul consolidar a aquicultura e piscicultura por meio do PROPEIXE, se tornará referência federal, pois, apenas o Pará possui uma política semelhante.

Melhoria nos negócios

O PROPEIXE tem como objetivo a simplificação de normas e procedimentos, e também a adequação da carga tributária sobre o produto, visando uma maior competitividade.

Entre outros serviços estão o apoio à visibilidade de crédito e recursos financeiros ao setor e premiação, nos moldes do Precoce MS e Leitão Vida.

Com o projeto, o Governo do Estado prevê uma produção de 35 mil toneladas de peixe para este ano, aumentando a capacidade de processamento para 37 mil toneladas em 2021.

Leia Também:  MÉDICOS DO BRASIL VÃO PERCORRER MAIS DE MIL QUILÔMETROS LEVANDO ASSISTÊNCIA ÀS COMUNIDADES DO PANTANAL

O titular da Semagro destacou que “o PROPEIXE traz uma política bem definida, com enfoque no emprego, renda, inclusão dos produtores e adoção de práticas sustentáveis de produção.”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Dólar cai e bolsa reduz perdas após discurso do ministro da Economia

Apesar de alívio, Ibovespa teve pior semana desde início da pandemia

Publicados

em

Depois de enfrentar turbulências na maior parte da sessão, o mercado financeiro acalmou-se após o discurso conjunto do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente Jair Bolsonaro. O dólar reverteu a alta e passou a cair, e a bolsa de valores reduziu as perdas. Mesmo assim, a moeda norte-americana teve a pior semana desde julho, e a bolsa registrou a pior semana desde o início da pandemia de covid-19.

O dólar comercial encerrou a sexta-feira (22) vendido a R$ 5,627, com recuo de R$ 0,04 (-0,71%). No pico da sessão, por volta das 12h30, a cotação chegou a R$ 5,75. O movimento só se inverteu no meio da tarde, após o ministro Paulo Guedes garantir que não pediu demissão e dizer que os gastos públicos deverão cair de 19,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para 18,5%, mesmo com o Auxílio Brasil de R$ 400.

Mesmo com a queda de hoje, a moeda norte-americana encerrou a semana com alta de 3,16%. Essa foi a maior valorização semanal desde a semana terminada em 8 de julho, quando a divisa tinha subido 4%. Em 2021, o dólar acumula alta de 8,44%.

Leia Também:  MÉDICOS DO BRASIL VÃO PERCORRER MAIS DE MIL QUILÔMETROS LEVANDO ASSISTÊNCIA ÀS COMUNIDADES DO PANTANAL

O mercado de ações também se acalmou após a fala de Guedes, mas o alívio foi insuficiente para reverter as perdas. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 106.296, com queda de 1,34%. No pior momento do dia, às 12h25, o indicador chegou a cair 4,5%.

Em baixa pelo segundo dia consecutivo, a bolsa fechou a semana com queda de 7,28%. Essa foi a maior perda semanal desde a semana encerrada em 18 de março de 2020, no início da pandemia de covid-19. Na ocasião, o Ibovespa tinha perdido 18,88% em cinco dias.

Nos últimos dias, o mercado financeiro tem enfrentado momentos de tensão com a confirmação de que o governo pretende financiar parte do benefício de R$ 400 do Auxílio Brasil com despesas fora do teto de gastos. A proposta de emenda à Constituição (PEC) que adia o pagamento de precatórios, aprovada ontem (21) na comissão especial da Câmara dos Deputados, abre espaço de R$ 84 bilhões fora do teto para serem gastos no próximo ano. Há o temor de que a conta fique ainda maior caso o Congresso amplie o benefício para R$ 500.

Leia Também:  Auxílio Brasil: ministro diz que governo usará R$ 30 bi fora do teto

*Com informações da Reuters

Edição: Valéria Aguiar

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA