ECONOMIA

Preço do gás encanado sobe mais 19% neste domingo (1.mai)

O GLP está custando R$ 10 o litro em MS

Publicados

em

A Petrobras na gestão de Jair Bolsonaro (PL) confirmou que vai reajustar os preços do gás natural nos contratos com as distribuidoras em 19% a partir de amanhã, domingo (1º.mai.22), Dia Nacional do Trabalhador. O novo valor é válido até o dia 31 de julho.

O produto é matéria-prima do GNV, do gás de cozinha encanado e é fonte de energia para diversos setores da indústria. Para botijão, o valor de referência é o GLP. (Veja abaixo).  

 

Em nota, a estatal afirmou que o reajuste decorre da atualização com base nas fórmulas acordadas, que vinculam a variação do preço do gás às variações do petróleo no mercado internacional e da taxa de câmbio. “A atualização trimestral para o gás e anual para o transporte atenua volatilidades momentâneas e assegura previsibilidade e transparência”, afirmou a estatal.

Os contratos vigentes até então, para os períodos de fevereiro, março e abril, ainda não tinham os impactos do início da guerra da Rússia contra a Ucrânia, que elevou os preços no mercado internacional.

Entre fevereiro e março, o Brent, principal referência para o petróleo, chegou próximo à casa dos US$ 130 por barril, mas nos últimos dias tem se estabilizado próximo aos US$ 100.

A Petrobras acrescentou que o preço final do gás natural ao consumidor não é determinado apenas pelo preço de venda da companhia, mas também pelas margens das distribuidoras e dos postos de revenda do gás natural veicular (GNV) e pelos tributos federais e estaduais.

A companhia também ressaltou que o processo de aprovação das tarifas é realizado pelas agências reguladoras estaduais. Hoje, o gás natural canalizado atende cerca de 4 milhões de clientes residenciais, comerciais, industriais, além de usuários de GNV.

QUEM USA EM MS?

Em um último levantamento divulgado no final de 2021 a Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul (MSGÁS) disse que haviam 11.900 unidades consumidoras de gás natural em MS. Ocorreu uma considerável adesão ao gás natural na gestão de Reinaldo Azambuja (MS). Quando ele assumiu em 2015 haviam 2.895 unidades.

Na capital do estado, a companhia chegou a importantes avenidas como a Júlio de Castilho, Hiroshima e Ana Luiza de Souza e ainda aumentou pontos em lugares como rua Brilhante, av. Fábio Zahran, av. Ceará, rua Amazonas, rua 14 de Julho, av. Salgado Filho, av. Duque de Caxias, av. Cônsul Assaf Trad, av. Bandeiras e ainda av. Trindade e rua Montese compatibilizando com as obras do Reviva Centro. Os trechos compreendem ramais-troncos a partir dos quais podem-se ligar clientes num raio de até 450 metros, o que possibilitou uma grande ampliação da rede e acesso ao gás natural a mais empresas e pontos comerciais.

O interior de Mato Grosso do Sul também recebeu novas redes de gás natural. Uma das principais expansões ocorreu em Três Lagoas, cidade que já é amplamente atendida pela companhia, em pontos que contemplam as indústrias de celulose e o shopping da cidade. O Hospital Regional de Três Lagoas também é abastecido pelo gás natural distribuído pela MSGÁS.

BOTIJÃO DO GLP

Segundo a Agência Nacional do Petróleo brasileira (ANP), até este dia 30 de abril, na Capital sul-mato-grossenses, os preços nas regiões era os seguintes:

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS – ANP 
COORDENADORIA DE DEFESA DA CONCORRÊNCIA 
SISTEMA DE LEVANTAMENTO DE PREÇOS 
Síntese dos Preços Praticados – CAMPO GRANDE
Resumo I – GLP R$/13kg 
Período: De 24/04/2022 a 30/04/2022 
RELAÇÃO DE POSTOS PESQUISADOS
RAZÃO SOCIAL ENDEREÇO BAIRRO BANDEIRA PREÇO VENDA DATA COLETA
POSTO DE COMBUSTVEIS CIDADE MORENA LTDA AVENIDA EDUARDO ELIAS ZAHRAN, 1727 Vila Galvao 95 27/04/2022
SHIRAISHI, MATSUBARA & CIA LTDA AVENIDA CORONEL ANTONINO, 2613 Vila Triangulo 97,9 25/04/2022
EDMAR MENEZES CHAVES AVENIDA CONSUL ASSAF TRAD, 3268 ENTREGA DE GAS Mata do Jacinto 97,9 25/04/2022
JOVINO FERNANDES DOS ANJOS – ME RUA LAGOA DA PRATA, 235 Jardim Centenário 99 28/04/2022
AUTO POSTO SAO JORGE LTDA AVENIDA GUAICURUS, 6941 Jardim Centenario 99 28/04/2022
BELLUZZO & HOLSBACK LTDA RUA SOUTO MAIOR, 1458 Jardim Tijuca Ii 99 28/04/2022
COMERCIAL DE ALIMENTOS MATTOS LTDA. RUA SPIPE CALARGE, 1046 Vila Carlota 99,65 27/04/2022
AUTO POSTO REFERENCIA LTDA AVENIDA GUAICURUS, 9194 Jd Centenario 99,9 28/04/2022
DAYANA ALESSANDRA DE OLIVEIRA RUA ENZO CIANTELLI, 327 Jardim Colibrí 99,99 28/04/2022
RAPHAEL ROMUALDO RUA MOCAMBIQUE, 275 Jardim Centenario 99,99 28/04/2022
AUTO POSTO SHIRAISHI CENTRO LTDA RUA DOM AQUINO, 1721 Centro 99,99 27/04/2022
EDEMIR JARDIM NETO AVENIDA MARECHAL DEODORO, 6994 Jardim Taruma 100 28/04/2022
POSTO DOS PODERES LTDA AVENIDA DO POETA, 990 Do Desbarrancado 100 25/04/2022
RT DE MELO COMERCIO DE GÁS ME RUA SPIPE CALARGE, 1077 Vila Carlota 100 27/04/2022
NUNES & RIBEIRO PRETADORA DE SERVIÇOS IMOBILIARIOS LTDA ME RUA ROMULO CAPPI, 673 Jardim Itamaraca 100 25/04/2022
MIKI DE SOUZA SANTOS RUA AIR SILVA DE ALMEIDA, 338 Residencial Estrela Park 100 25/04/2022
ANA MARIA MOREL INSARRALDE AVENIDA MARECHAL DEODORO, 6030 Coophavila Ii 100 28/04/2022
PAULO SERGIO CORREA R: TRAVESSA SANTIAGO, 20 N H Aero Rancho 100 28/04/2022
DISTRIBUIDORA DE GAS LEITE EIRELI RUA JORGE PEDRO BEDOGLIM, 1234 Parque dos Novos Estados 100 25/04/2022
SILVA E SOUZA COMERCIO DE GAS LTDA RUA DA DIVISAO, 1010 Jardim Parati 100 28/04/2022
JC SILVA MOLINA ME VERDES MARES, 155 Corcovado 100 28/04/2022
COMERCIO DE COMBUSTIVEIS CASTRO LTDA AVENIDA COSTA E SILVA, 930 Vila Progresso 102 27/04/2022
OLIVEIRA E SILVA COMERCIO DE GAS LTDA ME RUA NADIR DA COSTA PACHECO, 161 Jardim Colibri 105 28/04/2022
CAPITAL COMÉRCIO DE GÁS E ÁGUA EIRELI ME AV COSTA MELO, 864 Jardim Aero Rancho 105 28/04/2022
MI-GAS-COMERCIAL E TRANSPORTADORA LTDA RUA FILOMENA SEGUNDO NASCIMENTO, 2.034 Jardim das Perdizes 105 27/04/2022
M.T.M. INSAURRALDE RUA ANDREARA, 538 Jardim Portal das Laranjeiras 105 28/04/2022
ILZA DE OLIVEIRA MENDES RUA WALDEMAR WRITH, 769 Jardim Monumento 105 28/04/2022
TRAZZI & ESPINOSA LTDA RUA SOUTO MAIOR, 810 Tijuca I 105 28/04/2022
CAROLINA M.S. SILVA RUA DO LIVRAMENTO, 620 Coronel Antonino 105 25/04/2022
BEATRIZ LIRA TROVO RUA DA DOÇURA, 765 Jardim Parati 105 28/04/2022
REGIEL PAULINO DE SOUZA – ME AVENIDA EZEQUIEL FERREIRA LIMA, 851 Guanandi Ii 105 28/04/2022
ADEMAR LUIZ DE OLIVEIRA – ME RUA FILOMENA SEGUNDO NASCIMENTO, 2670 Jd. das Perdizes 105 27/04/2022
ENIO EGUES 32239190159 RUA MARQUÊS DE LEÃO, 1.424 Parque dos Novos Estados 105,99 25/04/2022
YONAMINE & CIA LTDA AVENIDA CALOGERAS, 1472 Centro 108 27/04/2022
POSTO Z + Z IGOR LTDA AVENIDA REDENTOR, 1577 Jardim Panorama 109,9 25/04/2022
LUIZ HENRIQUE DA COSTA SALLES 04801392105 RUA MANOEL GARCIA DE SOUZA, 574 Jardim Monumento 109,99 28/04/2022
AUTO POSTO PREMIUM LTDA RUA MANOEL DE OLIVEIRA GOMES, 41 Parque Residencial Maria Aparecida Pedrossian 110 25/04/2022
SCHNEIDER COMERCIO DE GAS EIRELI RUA PROFESSOR HILARIO DA ROCHA, 201 Vila Santo Eugenio 110 27/04/2022
ROBERTO CACERES BRITO RUA ELESBAO MURTINHO, 758 Universitário 110 28/04/2022
ROGERIO GAS E AGUA EIRELI RUA SANTOS MONTEIRO, 412 Jardim Monte Alegre 110 28/04/2022
HORTENCIA GÁS COMERCIAL LTDA. RUA DAMIANOPOLIS, 216 Jardim Aero Rancho 110 28/04/2022
M.M. DE MATTOS EIRELI ME RUA CACIMBINHA, 193 Centro 110 25/04/2022
ESPINDOLA & SANTANA COMÉRCIO DE GLP LTDA. RUA ELVIRA PACHECO SAMPAIO, 1454 Universitario Sec B 110 27/04/2022
IMPERIO DO GAS LTDA ME RUA PARAISÓPOLIS, 377 Vila Santo Eugênio 110 27/04/2022
JOSE R. DO NASCIMENTO EIRELI RUA PONTALINA, 567 CASA 01 Vila Santo Eugenio 110 27/04/2022
J. K. COMERCIO DE GAS LTDA AVENIDA MARINHA, 724 LOJA 01 Coophavila Ii 110 28/04/2022
ALEX CACERES RODRIGUES 01509930132 RUA DOUTOR FRANCISCO FERREIRA DE SOUZA, 586 Universitário 110 27/04/2022
REGINALDO DAS NEVES FERNANDES 45691908120 RUA DOLORES DURAN, 695 Jardim Pacaembu 110 27/04/2022
ANA R.TORRES – GUANANDI AVENIDA MARECHAL DEODORO, 2151 Guanandi 112 28/04/2022
DARIO QUEIRZ FILHO RUA SPIPE CALARGE, 1550 Vila Carlota 115 27/04/2022
ERASMO TAVARES DA SILVA – ME. RUA FILOMENA SEGUNDO NASCIMENTO, 1422 Universitario 115 28/04/2022
CASSAO E FERNANDES LTDA – ME RUA RIO DA PRATA, 669 Jardim Tijuca 115 28/04/2022
SILVANO ALVES FERREIRA RUA PHILADELFO ALVES DA SILVA, 152 Jardim Colibri Ii 115 28/04/2022
MOSKO LTDA AVENIDA PANAMERICANA, 295 Conjunto Habitacional Estrela D’alva Ii 120 25/04/2022
PAI & FILHO COMÉRCIO DE GÁS LTDA. – EPP RUA PEDRO CELESTINO, 550 Vila Sol Nascente 122 27/04/2022
PREÇO VENDA
MÉDIA 105,585
DESVIO PADRÃO 6,087
VALOR MÍNIMO 95
VALOR MÁXIMO 122
Data de Emissão : 30/04/2022
Leia Também:  Bioparque Pantanal abre votação para escolher nome de sucuri paraense

PREÇOS EM OUTROS MUNICÍPIOS DE MS 

A síntese dos preços praticados no gás de 13 quilos – GLP, conhecido como ‘gás de cozinha’, até este dia 30 de abril, mostra que Dourados tem praticado os preços mais elevados, cobrando até R$ 130 em um botijão. Entre os municípios mais populosos, Dourados (a 2ª maior população de MS) e Três Lagoas, são a cidade que tem praticado o gás num preço mais acessível, por lá, está sendo cobrando até R$ 115,00 no botijão, segundo o relatório da ANP. Veja a íntegra abaixo:

DADOS MUNICÍPIO
MUNICÍPIO Nº DE POSTOS
PESQUISADOS
Preço ao Consumidor
PREÇO MÉDIO DESVIO PADRÃO PREÇO MÍNIMO PREÇO MÁXIMO
Campo Grande 55 105,59 6,09 95,00 122,00
Corumbá 2 115,00 0,00 115,00 115,00
Coxim 6 127,50 2,74 125,00 130,00
Dourados 29 117,59 6,12 102,00 130,00
Nova Andradina 11 115,73 3,58 110,00 120,00
Ponta Porã 2 111,50 9,19 105,00 118,00
Três Lagoas 7 114,29 1,89 110,00 115,00

O impacto será sentido por motoristas que abastecem o carro com gás natural veicular (GNV) e residências que usam gás encanado. Os custos subirão ainda para o comércio e para grande parte das indústrias que também utiliza o combustível.

Leia Também:  Mato Grosso do Sul se mantém com a 3º menor taxa de desocupação do país, aponta pesquisa do IBGE

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

O desafio de conciliar geração de empregos com redução de custos

Entidades expõem seus posicionamentos à Agência Brasil

Publicados

em

O mês de maio, dedicado ao trabalhador, levanta a questão de como conciliar a geração de empregos com a redução de custos de manutenção e também de criação de novos postos de trabalho. “Esse é um desafio muito grande que se percebe no mundo inteiro, de como viabilizar os empregos desonerando as empresas, ou seja, melhorando a situação tributária e jurídica das empresas”, disse à Agência Brasil o professor da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas do Rio de Janeiro (FGV Rio) Paulo Renato Fernandes.

Segundo o professor, a reforma trabalhista trouxe um cenário mais favorável, ou adaptado, a essa situação. “Hoje, você tem novas formas de contratação, novos tipos de contrato, de gestão jurídica das empresas, que permitem que você tenha uma economia maior e, portanto, possa contratar mais trabalhadores”, explicou.

Nesse quadro, há questões importantes, segundo Fernandes. A primeira se refere à desburocratização das relações de trabalho no Brasil. O segundo aspecto diz respeito à desoneração da folha. “Porque quando você onera a folha de salários, diretamente está gerando para a empresa custo econômico”, disse.

Em termos de medidas jurídicas que podem ser adotadas, o professor da Escola de Direito da FGV Rio destacou que existe a possibilidade de adoção do banco de horas; os diversos casos que a legislação admite a terceirização; as novas formas de remuneração menos caras para o empregador, além de novas formas de contratação.

Teletrabalho

Teletrabalho, home office ou trabalho remoto.
Professor considera o teletrabalho uma boa oportunidade – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ele considera também o home office (trabalho em casa) uma boa oportunidade, mas não só o trabalho feito na residência, mas também o trabalho à distância ou o teletrabalho como um todo. “Você descentraliza o local de trabalho para outras regiões mais economicamente interessantes”, disse.

De acordo com o professor, no Rio de Janeiro ou em São Paulo, por exemplo, a empresa paga mais Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e aluguel, com mão de obra mais cara. “O custo de vida mais caro se reproduz na produção. Você pode ter essa mesma base produtiva laborando, por exemplo, no interior do Piauí ou em Minas Gerais, pelo teletrabalho, de forma mais barata”, defende.

Para Fernandes, a redução da jornada é algo muito importante, em razão, inclusive, da robótica. “O problema é que, olhando o salário hoje, se você reduz jornada, vai ter que contratar mais empregados, e há um custo dessa contratação”. Por isso, ele entende que a redução de jornada pode fugir ao objetivo que é gerar empregos e reduzir custos para o empregador. “Como política empresarial, só vai onerar o custo da empresa”.

Já a participação nos lucros e resultados (PLR), segundo o professor, é interessante para funcionários e patrões, porque não tem natureza remuneratória. “Ou seja, você não paga tributos sobre isso. Você consegue desonerar a folha de pagamento. A reforma trabalhista entrou fortemente nisso. A empresa pode desonerar a folha de pagamento adotando novas políticas ou formas de remuneração”.

Leia Também:  Mato Grosso do Sul se mantém com a 3º menor taxa de desocupação do país, aponta pesquisa do IBGE

Ele lembrou ainda que decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) conferem segurança jurídica para a terceirização. E salientou, também, a contratação de cooperativas de trabalho, em que a mão de obra é mais barata para as empresas.

Trabalho remoto

Para o presidente do Conselho Empresarial Trabalhista e Sindical da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Luiz Carlos Renaux, o trabalho remoto é um bom exemplo de como é possível conciliar reivindicação de trabalhadores com redução de custos e manutenção de empregos.

“A adoção desse modelo de trabalho é positivo para o empregado, pois elimina o tempo de deslocamento e permite que ele passe a estar mais disponível para a família. Para as empresas, também há benefícios, como o corte de custos. Muitas reduziram gasto com aluguel porque não precisam mais de tanto espaço, o que beneficia ambas as partes. Da mesma forma, gasta-se menos com energia, com auxílio-transporte. Há redução de acidentes também. Entendemos que o trabalho remoto é um ponto convergente entre patrões e empregados”, disse Renaux.

Crescimento econômico

Em nota, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirmou ter sempre reforçado que a criação de postos de trabalho resulta do crescimento da economia, e não de uma legislação por si só, seja qual ela for.

Em relação à terceirização, a entidade esclareceu que, conforme estabelece a Lei 13.429/2017, trata-se de uma forma de organização e gestão de processos produtivos das empresas, pela qual uma empresa contrata de uma outra empresa a prestação de serviços ou etapas de processos produtivos especializados que não são realizados pela estrutura da tomadora. “Não se trata, portanto, de contratação direta de mão de obra, com redução ou supressão de direitos”, explicou.

De acordo com a CNI, a terceirização não deve ser confundida com intermediação de mão de obra, pela qual a empresa fornecedora transfere a subordinação do empregado por tempo determinado. Para a entidade, a regulamentação de terceirização trouxe um conjunto de obrigações para as empresas e proteções para o trabalhador na relação entre a empresa contratante e a contratada.

Quanto ao teletrabalho, modalidade que tem no home office uma de suas possibilidades, a CNI lembrou que está regulamentado pela reforma trabalhista. “Uma empresa pode ou não adotar o teletrabalho. Se adotar, pode ser aplicável para algumas funções e não para outras. Isso é uma escolha de gestão. Pela lei, a obrigação da empresa, quando decide por adotar o teletrabalho, é incluir cláusula específica no contrato individual de seu empregado, estabelecendo as regras e rotinas pactuadas”.

Acordos

O sindicato dos comerciários de São Paulo promove mutirão do emprego.
Anamatra diz que muitos dos empregos no Brasil estão desatualizados – Rovena Rosa/Agência Brasil

Indagada se a redução de jornada e o incentivo à participação dos funcionários nos lucros e resultados poderiam ser alternativas viáveis no mercado de trabalho do Brasil, a CNI explicou que a redução da jornada de trabalho não se traduz na geração de empregos, que está diretamente ligada ao crescimento econômico. Observou, entretanto, que empresas e trabalhadores podem acordar sobre a redução da jornada e do salário, conforme previsto na Constituição.

Leia Também:  Bioparque Pantanal abre votação para escolher nome de sucuri paraense

“O acordo e a convenção coletiva são instrumentos do mundo do trabalho, presentes não apenas na legislação brasileira, à qual as empresas e representações de trabalhadores recorrem, em comum acordo e por tempo determinado, em situações extraordinárias de crise sobre o mercado de trabalho, como ocorreu durante o período mais agudo da pandemia”, disse a CNI.

A entidade lembrou que dados de 2020 mostram que a utilização desse instrumento foi de grande importância para o país, ao permitir que se preservassem postos de trabalho enquanto as empresas atravessaram tempos de forte redução de receitas.

A CNI disse ainda que a participação em lucros e resultados também está prevista na legislação trabalhista como instrumento de incentivo à produtividade. “A sua adoção é fruto da negociação entre a empresa e seus trabalhadores ou sindicato”, disse.

Anamatra

Também em nota, o presidente da Associação Nacional de Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Luiz Colussi, afirmou que um dos problemas enfrentados no Brasil em relação à geração de novos postos de trabalho é o fato de que muitos dos empregos estão desatualizados, passando por processos de substituição parcial ou integral. “E isso é agravado pelas crises que vivemos. Mas o trabalhador não pode simplesmente ser o culpado e pagar por isso, e ver pesar sobre suas costas a responsabilidade pelo equilíbrio da economia, enquanto alguns ampliam seus lucros. O país não pode abrir mão de desenvolver políticas públicas para a busca de pleno emprego”, defende Colussi.

O presidente da Anamatra disse que é preciso proteger o trabalhador, fazendo com que ele evolua para os próximos postos de trabalho. “É necessário preparar a população para que ela esteja apta a assumir novas formas laborais”, disse.

Segundo Luiz Colussi, o Brasil precisa criar esses novos trabalhos, com forte dose de conhecimento e transformação, que produzam riqueza local e entregas relevantes de valor agregado, e não apenas importar soluções, serviços e produtos que drenem recursos de um lugar para outro. “Além do mais, não se pode abrir mão da proteção dos trabalhadores envolvidos nas novas formas de trabalho”, salientou.

Na avaliação do juiz, a terceirização e o home office “não devem e não podem promover precarização das relações de trabalho, serem usados de forma irrestrita, levando o trabalhador à exaustão e à exposição a toda sorte de riscos”. Ele disse que isso também vale para outras mudanças, como a redução de jornada, o direito à desconexão e a participação nos lucros, que podem ser boas inovações, desde que não sejam introduzidas como forma de precarizar a relação de trabalho, prejudicando tanto trabalhadores como empregadores e a sociedade.

Edição: Fernando Fraga

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA