CIDADES

CTG Brasil realiza testes de redução de vazão na Usina Jupiá

Operação ocorre entre os dias 10 e 14 de maio e integra as ações adotadas pelo ONS para minimizar impactos da escassez de chuvas

Publicados

em

A CTG Brasil realiza entre os dias 10 e 14 de maio testes de redução de vazão mínima a jusante da Usina Hidrelétrica Jupiá, conforme autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

A operação atende a uma solicitação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que vem adotando medidas para minimizar os impactos negativos causados pelas baixas afluências registradas nos últimos anos.

A solicitação do ONS é que a vazão da Usina Jupiá seja reduzida ao longo do período de testes num patamar de 100 m³/s por dia. Equipes especializadas farão o monitoramento de uma área de 15 hectares no Rio Paraná a jusante da usina, área de influência dos testes. No decorrer de cada dia, haverá a estabilização das vazões e a avaliação dos dados levantados durante o monitoramento.

A fase seguinte só será realizada após análise e confirmação das condições favoráveis do nível a jusante. Caso as equipes constatem iminência de impacto ao meio ambiente, os órgãos gestores serão avisados e haverá suspensão imediata da redução de vazão e reversão para os 3.700 m³/s atuais.

Leia Também:  Redução do ICMS da Energia Elétrica deve impactar arrecadação em R$ 3,67 milhões

A operação está sendo comunicada para veículos de imprensa, órgãos reguladores e população em geral. Interessados também podem obter informações acessando o serviço de atendimento da CTG Brasil pelos telefones 0800 606 7059 ou (11) 99178 8079 (WhatsApp).

Sobre a CTG Brasil

A CTG Brasil trabalha para desenvolver o mundo com energia limpa em larga escala. Segunda maior geradora privada de energia do País, conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,3 GW. Criada em 2013, é parte da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa.

 

Mais informações:

Igor Galante – (17) 99791-1216

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Estudantes experimentam álcool cada vez mais cedo em MS, mostra pesquisa

Consumo também é maior entre estudantes de escolas públicas

Publicados

em

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2019, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que estudantes estão experimentando álcool cada vez mais cedo.

Conforme os dados, cerca de 63,3% dos estudantes de escolas públicas e particulares entre 13 e 17 anos já experimentaram bebida alcoólica e mais de um terço deles (34,6%) provou pelo menos uma dose antes de completar 14 anos.

Ainda segundo os dados, as meninas são mais expostas a essa iniciação precoce: 36,8%, contra 32,3% entre os meninos.

Os dados se referem à realidade dos jovens antes da pandemia de Covid-19, cujas medidas de isolamento social e distanciamento físico do ambiente escolar podem ter agravado a situação.

Entre os estudantes que experimentaram bebidas alcoólicas, 47% disseram ter tido episódios de embriaguez.

Esse percentual foi maior entre os estudantes de escolas da rede pública (47,6%) do que entre os da rede privada (43,4%).

Cerca de 15,7% relataram a ocorrência de problemas em consequência de terem bebido, entre eles estão o conflito com a família ou amigos, a perda de aulas ou brigas.
Entre os adolescentes de 13 a 17 anos, 9,7% relataram ter consumido quatro doses ou mais em um mesmo dia. Nesse indicador, o Sul (12%) e o Centro-Oeste (11,1%) ficaram acima da média nacional. Já Norte (7,0%) e Nordeste (7,8%) apresentaram os menores percentuais.

Leia Também:  Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

Cerca de 6,9% dos estudantes dessa faixa etária disseram ter bebido cinco doses ou mais em um dia.

Entre as questões levantadas também estava o uso de bebidas alcoólicas pelos pais dos adolescentes. Mais da metade dos escolares de 13 a 17 anos (58,9%) respondeu que o pai, a mãe ou ambos consumiam esse tipo de produto, sendo os percentuais maiores no Sul (62,4%), no Centro-Oeste (61,9%) e no Sudeste (61,5%).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA