CIDADES

Com disputa à reeleição, Água Clara tem três candidatos a prefeito

Publicados

em

Tupete, Gerolina e Silas José disputam a prefeitura. (Divulgação)

O município de Água Clara, a 196 quilômetros de Campo Grande, tem três candidatos a prefeito, sendo que o atual está na disputa pela reeleição.

Dos três, apenas uma é mulher. Gerolina Alves é filiado ao PSD e recebe nas eleições deste ano, apoio do PL, PV, DEM e Republicanos. Seu vice é Tião Ottoni (DEM).

Portanto, na disputa à reeleição, está Edvaldo Alves Queiróz, o Tupete (PDT). O candidato a vice é Daniel Medeiros do Patriota.

Tupete está no terceiro mandato como prefeito do município. Nesta campanha, ele tem apoio do MDB, PSB, PTB e Patriota.

O ex-prefeito de Água Clara, Silas José, do PSDB também está na disputa. O partido tem chapa pura na majoritária com a candidata a vice Dra. Marcia. O Podemos apoia o partido tucano.

Entretanto, até a manhã desta sexta-feira (25) apenas a candidatura de Gerolina tinha sido registrada no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). O prazo encerra amanhã (26) às 19h.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Instituições e ambientalistas elogiam medidas do governo para transformar MS em estado carbono neutro
Propaganda

CIDADES

Estudantes experimentam álcool cada vez mais cedo em MS, mostra pesquisa

Consumo também é maior entre estudantes de escolas públicas

Publicados

em

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2019, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que estudantes estão experimentando álcool cada vez mais cedo.

Conforme os dados, cerca de 63,3% dos estudantes de escolas públicas e particulares entre 13 e 17 anos já experimentaram bebida alcoólica e mais de um terço deles (34,6%) provou pelo menos uma dose antes de completar 14 anos.

Ainda segundo os dados, as meninas são mais expostas a essa iniciação precoce: 36,8%, contra 32,3% entre os meninos.

Os dados se referem à realidade dos jovens antes da pandemia de Covid-19, cujas medidas de isolamento social e distanciamento físico do ambiente escolar podem ter agravado a situação.

Entre os estudantes que experimentaram bebidas alcoólicas, 47% disseram ter tido episódios de embriaguez.

Esse percentual foi maior entre os estudantes de escolas da rede pública (47,6%) do que entre os da rede privada (43,4%).

Cerca de 15,7% relataram a ocorrência de problemas em consequência de terem bebido, entre eles estão o conflito com a família ou amigos, a perda de aulas ou brigas.
Entre os adolescentes de 13 a 17 anos, 9,7% relataram ter consumido quatro doses ou mais em um mesmo dia. Nesse indicador, o Sul (12%) e o Centro-Oeste (11,1%) ficaram acima da média nacional. Já Norte (7,0%) e Nordeste (7,8%) apresentaram os menores percentuais.

Leia Também:  Presidente do Senado diz que “democracia é inegociável"

Cerca de 6,9% dos estudantes dessa faixa etária disseram ter bebido cinco doses ou mais em um dia.

Entre as questões levantadas também estava o uso de bebidas alcoólicas pelos pais dos adolescentes. Mais da metade dos escolares de 13 a 17 anos (58,9%) respondeu que o pai, a mãe ou ambos consumiam esse tipo de produto, sendo os percentuais maiores no Sul (62,4%), no Centro-Oeste (61,9%) e no Sudeste (61,5%).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

SELVÍRIA

ACONTECEU

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA